Mercado de Trabalho PS afirma que economia está a "caminho da estagnação"

PS afirma que economia está a "caminho da estagnação"

O PS afirmou que a economia portuguesa está a "caminho da estagnação", apontando alguns indicadores do primeiro trimestre como os dados do desemprego hoje divulgados, e manifestou-se preocupado com um eventual novo aumento de impostos.
PS afirma que economia está a "caminho da estagnação"
Lusa 09 de maio de 2014 às 13:55

Para o socialista Pedro Marques, a maioria do Governo poderá considerar como "muito positivos" os dados hoje divulgados sobre o desemprego, mas considerou que essas afirmações estarão "longe da realidade" e que os "indicadores são preocupantes e a economia está a caminho da estagnação".

 

"A verdade é que o emprego caiu em mais de 40 mil postos de trabalho no primeiro trimestre em relação ao final do ano passado e a redução da taxa de desemprego a que se referirão certamente os partidos da maioria tem apenas uma explicação: uma queda brutal da população activa", argumentou, em declarações aos jornalistas no parlamento.

 

O deputado referiu haver "mais 60 mil pessoas, que infelizmente deixaram de procurar trabalho ou emigraram apenas num trimestre".

 

O Instituto Nacional de Estatística (INE) estimou hoje que a taxa de desemprego em Portugal foi de 15,1% no primeiro trimestre, 2,4 pontos percentuais abaixo do mesmo período de 2013 e menos 0,2 pontos percentuais do que no trimestre anterior.

 

Pedro Marques enumerou outros indicadores "negativos ao longo do primeiro trimestre", como as exportações liquidas, comércio de serviço, produção industrial e "até o consumo da electricidade, que é um grande espelho da evolução da actividade económica, se degradou significativamente".

 

O socialista questionou o que mudou entre o último trimestre de 2013 e o primeiro de 2014 e respondeu que no início do actual ano houve mais "uma carga de quatro mil milhões de euros de austeridade, no Orçamento de Estado e mais um aumento de impostos para os pensionistas".

 

Comentando as declarações do primeiro-ministro durante o debate quinzenal sobre a possibilidade de nova subida de impostos no caso de nova decisão de inconstitucionalidade, o socialista manifestou-se "preocupado".

 

"Ficámos sobretudo muito preocupados, porque o Governo não aprende. Porque em 2013 não substituiu as medidas de declaradas inconstitucionais por outros cortes ou aumentos de impostos e os resultados na economia e no défice foram melhores por não terem sido tomadas novas medidas de austeridade", referiu o socialista.

 

Pedro Marques acrescentou que já este ano "à primeira decisão do Tribunal Constitucional", o executivo decidiu por um "aumento de impostos para os pensionistas".

 

"Agora para uma nova decisão que eventualmente se adivinha o primeiro-ministro já promete mais aumento de impostos para os portugueses. Assim não vamos lá", argumentou.

 

 

 




Saber mais e Alertas
pub

Marketing Automation certified by E-GOI