Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Alemanha abranda menos do que o esperado e França evita contracção

As exportações e o consumo privado permitiram que o abrandamento da economia alemã fosse inferior ao esperado. Em França, o investimento público evitou aquela que seria a primeira contracção trimestral em mais de três anos.

Ana Luísa Marques anamarques@negocios.pt 14 de Agosto de 2012 às 07:38
  • Assine já 1€/1 mês
  • 4
  • ...
O PIB germânico avançou 0,3% no segundo trimestre, após uma expansão de 0,5% no trimestre anterior. Este abrandamento foi, ainda assim, inferior ao previsto pelos economistas contactados pela agência Bloomberg.

O PIB francês ficou inalterado face ao primeiro trimestre do ano. As previsões apontavam para uma contracção de 0,1%.

Mais uma vez, a Alemanha desafia a crise do euro

No segundo trimestre do ano, a maior economia da Zona Euro beneficiou do consumo privado e da subida das exportações, indicam os dados do instituto de estatística alemão. O economista Carsten Brzeski, do ING, escreve que a economia alemã conseguiu, "mais uma vez, desafiar a crise do euro" e escapar à recessão técnica que muitos países do euro já estão a viver.

Carsten Brzeski alerta, no entanto, que o "motor" da Zona Euro já começou a ser afectado "pelo vírus da crise do euro". "A acentuada queda da procura de produtos alemães por parte de outros países da Zona Euro mostra que a crise do euro já tocou na economia alemã", escreve o economista numa nota enviada hoje aos clientes.

Assim, acrescenta Brzeski, o "futuro da economia alemã dependente" de "uma forte procura doméstica". "Acreditamos que a procura interna deverá limitar o abrandamento da economia mas não vai transformar a Alemanha numa ilha económica."
Ver comentários
Saber mais Alemanha França PIB
Outras Notícias