Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Bolsa nacional cai 1,38% e prolonga queda superior a 4% da última sessão

As descidas superiores a 2% da Jerónimo Martins e Galp Energia são as que mais contribuem para que o principal índice nacional esteja hoje a renovar mínimos da semana passada.

Hugo Paula hugopaula@negocios.pt 19 de Agosto de 2011 às 12:49
O índice PSI-20 recua 1,38% para 5.947,64 pontos, com 18 cotadas a descer e duas a subir. A bolsa nacional já chegou a perder 2,86% para 5,857,84 pontos.

A volatilidade e as depreciações regressaram às bolsas europeias que renovam mínimos da semana passada, depois de um período de acalmia que se seguiu à volatilidade que se fez sentir na semana passada.

A par das desvalorizações nos activos de risco, os activos de refúgio continuam a valorizar com os investidores a procurarem exposição à segurança relativa do ouro, que está hoje, novamente em máximos históricos, ou do franco suíço, que sobe apesar de a autoridade monetária suíça estar a tentar contrariar esse efeito.

Entre as principais praças europeias a tendência é de quedas superiores, com o índice de referência para a Europa a perder 2,97% para 219,96 pontos e a registar a maior descida em dois dias desde Novembro de 2008. O DAX segue a recuar 4,01% em Frankfurt e parisiense CAC-40 desce 2,97%. O índice IBEX da nossa vizinha Espanha perde 3,25%.

A pressionar as acções europeias estão os receios de que a economia mundial regresse a uma tendência de recessão e de que a crise orçamental europeia se agrave. Ontem o economista Paul Krugman disse que Portugal não deverá evitar o incumprimento e que Itália tem 10% de probabilidade de entrar em "default".

Por cá a cotada que mais pressiona é a Jerónimo Martins, que perde 2,40% para 12,805 euros, seguida pela petrolífera Galp Energia, que recua 2,20% para 12,89 euros.

A contrariar maiores ganhos está a EDP que aprecia 0,10% para 2,067 euros, enquanto a sua participada EDP Renováveis deprecia 0,96% Para 3,92 euros. A REN, que gere a rede eléctrica nacional, perde 1,00% para 2,077 euros.

Na banca, o BCP deprecia 0,40% para 0,252 euros e fixou um novo mínimo histórico nos 0,248 euros, enquanto o BPI desce 2,17% para 0,768 euros na sessão em que renovou mínimos de 1995 nos 0,765 euros. O Banif desvaloriza 2,20% para 0,401 euros.

Destaque ainda para a concessionária Brisa que perde 2,02% para 2,519 euros após ter negociado nos 2,482 euros, renovando um mínimo histórico.

A operadora Portugal Telecom perde 1,25% para 5,675 euros e também é uma das cotadas que mais contribui para a tendência de queda da bolsa nacional. A Sonaecom recua 0,71% para 1,261 euros e a Zon Multimédia perde 0,84% para 2,37 euros.

A Mota-Engil valoriza 0,40% para 1,243 euros. A construtora liderada por António Mota valorizou em seis das sete sessões que culminaram ontem.



Ver comentários
Saber mais PSI-20 bolsa Europa Lisboa
Outras Notícias
Publicidade
C•Studio