Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Bundesbank: Ajuda a países não é uma função do BCE

O presidente do banco central alemão disse à Reuters que não cabe ao BCE ajudar Espanha, numa altura em que o país viu as suas taxas de juro dispararem no mercado secundário. "É exactamente para isso que serve o fundo de resgate".

Hugo Paula hugopaula@negocios.pt 18 de Abril de 2012 às 14:28
  • Assine já 1€/1 mês
  • 5
  • ...
Jens Weidmann, presidente do banco central alemão (Bundesbank), disse que a subida das taxas de juro deve servir para que Espanha procure recuperar a confiança dos mercados implementando as reformas que forem adequadas ao país.

O responsável que também é membro do Conselho do Banco Central Europeu (BCE), defendeu que o órgão presidido pelo italiano Mario Draghi não tenciona utilizar o programa de refinanciamento de longo prazo para reduzir as taxas de juro que Espanha enfrenta no mercado de dívida.

“Não devemos declarar o fim do mundo sempre que as taxas de juro de longo prazo de um país atingem os 7%”, disse o Weifmann em entrevista à Reuters. “Esse é também um incentivo para que os responsáveis dos países atingidos façam o seu trabalho doméstico e para recuperar a confiança” do mercado, salientou.

Benoît Coeure, que preside o programa de compra de obrigações do BCE, que este ainda existia como um recurso à disposição da autoridade monetária. Isto numa altura em que os juros de Espanha superavam os 6% e em que o BCE não compra obrigações há cinco semanas.

“Os limites do programa de compra de activos são agora conhecidos”, disse Weidmann. “Ao mesmo tempo, esse programa não foi terminado pelo Conselho do BCE. Benoît Coeure limitou-se a descrever esse facto”.

O recurso ao programa de compra de obrigações provocou polémica no último ano e levou mesmo à demissão de dois responsáveis alemães pela política monetária europeia. Apesar de alguns investidores estarem a apostar que o BCE vai comprar dívida pública no mercado secundário, Weidmann sugere que os países não procurem ajuda junto do BCE.

“Não é a nossa função dar ajuda financeira aos países para que estes prolonguem os ajustamentos necessários ao longo do tempo”, disse. “Essa exactamente a função do fundo de resgate”, acrescentou.

Ver comentários
Saber mais economia crescimento banco central Bundesbank Jens Weidmann BCE
Mais lidas
Outras Notícias