Europa Empresas continuam a sair da Catalunha. Foram 595 no segundo trimestre

Empresas continuam a sair da Catalunha. Foram 595 no segundo trimestre

A debandada de empresas da Catalunha abrandou em relação ao início do ano, mas continua em larga escala: face a 2017, triplicou o número de empresas a mudar-se para fora da região.
Empresas continuam a sair da Catalunha. Foram 595 no segundo trimestre
Negócios 05 de setembro de 2018 às 17:12

A Catalunha viu menos empresas a sair das suas fronteiras no segundo trimestre em relação aos primeiros três meses do ano, mas continua a sofrer com este movimento: comparando a 2017, entre Abril e Junho, o número de empresas a abandonar a região triplicou, avança o Expansión.

No total, foram 595 as empresas que fizeram as malas para fora da Catalunha no segundo trimestre, mais 231% do que no ano anterior. O número caiu para menos de metade do registado entre Janeiro e Março, quando 1.695 empresas disseram adeus à região, mas é ainda assim uma soma considerável, sobretudo tendo em conta o conjunto de receitas: nesta óptica, a Catalunha perdeu 627 milhões de euros.

Estes movimentos dão à Catalunha o título de região espanhola com mais mudanças no domicílio das firmas, sendo responsável por 35% de todas as alterações deste tipo no país. O saldo entre as recém-chegadas e as que se despediram é negativo em 471 empresas, uma tendência que se mantém há um ano.

A lucrar com este fluxo ficaram a vizinha Valência, que acolheu 7% das empresas "em fuga" e as Baleares, que receberam 6%.

A instabilidade da Catalunha teve o seu ponto alto em Outubro do ano passado, quando foi declarada a independência da região à revelia de Madrid, na sequência de um referendo. Mais recentemente, em Março deste ano, o líder da Generalitat e voz da declaração de independência, Carles Puigdemont, afirmou em entrevista a um diário suíço que o único arrependimento que tem é por ter suspendido os efeitos de independência na altura, com a intenção de abrir a porta ao diálogo.