Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Fitch: Receitas das privatizações portuguesas vão superar o esperado

A agência de notação financeira acredita que Portugal vai superar a meta de cinco mil milhões de euros para as receitas com privatizações. O número de operações e também outras medidas do ajustamento estrutural são "impressionantes".

Hugo Paula hugopaula@negocios.pt 31 de Maio de 2012 às 12:25
  • Assine já 1€/1 mês
  • 12
  • ...
“O elevado valor das ofertas por empresas portuguesas detidas pelo Estado anunciado durante o primeiro trimestre significa que as vendas devem exceder a meta do Governo”, revela a Fitch Ratings em nota citada pela Bloomberg. O optimismo para o valor das vendas justifica-se pela boa execução das vendas previstas no acordo com a troika e também com os desenvolvimentos conseguidos noutras áreas em que estão a ocorrer ajustamentos.

“O número de vendas é impressionante – bem como outras medidas estruturais que o país tem implementado – especialmente tendo em conta tanto a natureza frágil do ambiente económico, como a venda de outros activos na Zona Euro”, resumem os economistas da Fitch.

A meta de venda de activos públicos no valor de cinco mil milhões de euros deverá, assim, ser superada, embora o valor final de alguns activos deva sair diminuído pelo esforço de incremento da concorrência em alguns sectores.

“O valor final de algumas empresas públicas pode ser reduzido pela liberalização do mercado”, uma vez que o Governo está “a liberalizar muitos sectores não transaccionáveis à concorrência”, diz o relatório. Isto torna alguns activos menos atractivos para venda, explicam.

Os analistas referem ainda que “a maior parte dos activos que não está a ser vendida está a ser reestruturada com o objectivo de atingir o equilíbrio operacional até ao final do ano”, segundo avançado pela Bloomberg.

A Caixa Geral de Depósitos, por seu turno, continua a consumir recursos públicos, diz a agência de “rating” que estima em seis mil milhões de euros o custo do sector bancário para o herário público. “Mais capital será necessário se o sector bancário se deteriorar”, concluem.

(Notícia actualizada às 12h40 com mais detalhe)
Ver comentários
Saber mais Fitch Portugal resgate privatizações privatização Ana TAP
Outras Notícias