Europa May pede adiamento do Brexit até 30 de junho

May pede adiamento do Brexit até 30 de junho

Governo britânico confia que será possível obter o apoio do parlamento para a saída do Reino Unido no curto prazo, apesar do acordo já ter sido recusado por três vezes.
May pede adiamento do Brexit até 30 de junho
Reuters
Nuno Carregueiro 05 de abril de 2019 às 09:11

A primeira-ministra britânica voltou a pedir o adiamento da saída do Reino Unido da União Europeia para a data inicial de 30 de junho.

 

Theresa May resiste assim a solicitar um adiamento longo do Brexit, como pretendia a União Europeia, acreditando que será possível selar um acordo no parlamento britânico.

 

"O Reino Unido propõe que este período termine a 30 de junho", refere a carta que May endereçou ao presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk.

O objetivo que o Governo britânico tem ainda em cima da mesa passa por conseguir aprovar os procedimentos que permitam a "saída da União Europeia a 23 de maio de 2019 e nesse sentido cancelar [a participação nas]  eleições para o Parlamento Europeu". Contudo, May diz que o Reino Unido participará nas eleições "se não for possível" implementar o Brexit até essa data.

 
Tusk quer prazo "fléxivel" 

30 de junho foi a primeira data pedida por Theresa May quando formulou o pedido inicial de extensão do artigo 50.º do Tratado de Lisboa (29 de março era a data inicialmente prevista). 

A União Europeia recusou devido às eleições para o Parlamento Europeu, pelo que o prazo concedido foi mais curto. Atualmente o Reino Unido está submetido a um prazo que termina a 12 de abril para apresentar novas propostas para o 'Brexit' ou sair sem acordo, sendo que este cenário parece cada vez menos provável.

 

O acordo celebrado entre May e a União Europeia já foi chumbado por três vezes, mas a primeira-ministra está agora em negociações com o líder dos trabalhistas, Jeremy Corbyn, com o objetivo de formar uma maioria do Parlamento que seja suficiente para o acordo ser finalmente aprovado.

 

Foi depois deste terceiro chumbo, na semana passada, que May revelou a necessidade de solicitar um novo adiamento do Brexit, que foi formalizado esta sexta-feira em carta enviada ao presidente do Conselho Europeu.

 

Segundo a BBC, Donald Tusk mostra-se a favor de conceder ao Reino Unido um adiamento "flexível" do 'Brexit' por 12 meses, pois esta solução permitiria ao Reino Unido sair da União Europeia assim que o parlamento britânico ratificar o acordo de saída. Esta proposta de adiamento "fléxivel", que terá que ser aprovada por todos os estados-membros da UE, deverá ser discutida na cimeira europeia que foi convocada para 10 de abril, pecisamente para discutir o Brexit. 

Uma fonte comunitária explicou à Reuters que um adiamento por 12 meses permitirá ao Reino Unido ter o "tempo necessário" para "repensar a sua estratégia para o Brexit", sem necessidade de fazermais pedidos de extenção de prazos.

Esta quinta-feira decorreram reuniões ao nível técnico entre as equipas do Partido Conservador e do Partido Trabalhista, isto depois de na quarta-feira o encontro entre May e Corbyn ter sido "inconclusivo" quanto ao caminho a seguir. Os líderes dos dois maiores partidos britânicos devem voltar a reunir-se esta sexta-feira.

(notícia atualizada às 9:40 com mais informação)




pub

Marketing Automation certified by E-GOI