Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Portugal pode ser um exemplo "elucidativo" do futuro de Espanha e Grécia

Os últimos dez anos de fraco crescimento em Portugal podem consistir numa “projecção da longa estrada para a recuperação” de países como Espanha e Grécia.

Hugo Paula hugopaula@negocios.pt 14 de Julho de 2010 às 11:34
  • Partilhar artigo
  • 1
  • ...
O Wall Street Journal diz hoje na sua edição “online” que Portugal pode ser um exemplo “elucidativo” daquilo que países como a Irlanda, Espanha e Itália poderão vir a enfrentar, na sua própria “jornada de austeridade”.

Segundo a publicação norte-americana, o crescimento de Portugal no início dos anos 90 “plantou as sementes da sua própria destruição”, reduzindo a urgência de implementação de cortes impopulares e liberalização. Isso saldou-se num aumento dos funcionários ao serviço do Estado, que se reflectiu num crescimento da despesa “difícil de reduzir mais tarde”.

Foi assim que Portugal iniciou uma subidas de impostos e reduções “intermitentes” da despesa há uma década, iniciando um período em que a economia nacional cresceu ao ritmo médio de 0,8% ao ano, o que fica aquém dos “cerca de 5% no final dos anos 90”.

“Tem de se estar preparado para tempos de estagnação” disse António de Sousa ao "Wall Street Journal", actual presidente da Associação de Bancos Portugueses (APB) e membro do Banco de Portugal aquando da criação do euro em 1990.

Tem de se estar preparados para tempos de austeridade.

António de Sousa ao Wall Street Journal.
Agora o país está a mostrar “sinais de estar a agarrar-se a um caminho de saída da espiral de dívida e recessão”, diz o jornal que recorda que o PIB português cresceu ao ritmo de 4% ao ano, no primeiro trimestre, graças às exportações e à despesa doméstica, enquanto o “crédito às empresas e famílias está a crescer”.

As medidas de austeridade "mais agressivas" levadas a cabo pelo Governo terão de continuar a ser implementadas, podendo começar a penalizar o crescimento em 2011, de forma a alterar “fundamentalmente” a economia portuguesa, diz o artigo assinado por Jeffrey T. Lewis, citando avisos de economistas.

“Se Portugal for uma projecção [para outras nações que enfrentem austeridade], temos de esperar vários anos de subdesempenho em Espanha”, disse o economista do Commerzbank Ralph Solveen ao Wall Street Journal.
Ver comentários
Outras Notícias