Europa Primeiro-ministro espanhol elogia "reformas ambiciosas" do seu 1º ano de Governo

Primeiro-ministro espanhol elogia "reformas ambiciosas" do seu 1º ano de Governo

O primeiro-ministro espanhol defendeu hoje a sua acção no Governo no primeiro ano de mandato destacando as reformas "ambiciosas e imprescindíveis", enquanto milhares de pessoas protestavam nas ruas contra os cortes na despesa do Estado.
Primeiro-ministro espanhol elogia "reformas ambiciosas" do seu 1º ano de Governo
Lusa 17 de dezembro de 2012 às 23:50

"Ninguém poderá dizer-nos que ficámos de braços cruzados", destacou o Mariano Rajoy, no discurso de inauguração da XVIII União Interparlamentar do PP, em Toledo.

Para o primeiro-ministro e presidente do PP, o seu primeiro ano de Governo vai ser reconhecido como o período em que se criaram as bases para a recuperação económica, citado pela agência Efe.

 

Rajoy assinalou também que o seu partido não tenciona consentir que "quem minou o Estado Social" dê agora "lições de política social", afirmou.

 

"Não vamos permiti-lo", avisou o primeiro-ministro, que culpou o PSOE por deixar os serviços sociais "à beira do colapso" e considerou que os socialistas carregam uma "culpa histórica" que os todos os espanhóis têm de conhecer.

 

O primeiro-ministro e presidente do PP admitiu não existirem "soluções fáceis para situações difíceis".

 

Reconhecendo que este ano foi de "dor e sofrimento", Rajoy quis, agora que se aproxima o Natal, enviar uma mensagem de "esperança" aos cidadãos e famílias que estão a passar mais dificuldades, dizendo-lhes que "tudo o que este Governo faz é com o objectivo prioritário de recuperarem as suas vidas e bem-estar".

 

O líder do PP reconheceu que algumas medidas tomadas vão "contra" o que prometeu o seu partido e que "existem muitos espanhóis que não as aplaudem".

 

No entanto, Rajoy insistiu que "vistas no Seu conjunto", as reformas são "as mais necessárias que qualquer Governo tomou nos últimos anos".

 

Para o governante, hoje as reformas "não são uma opção", mas uma "obrigação para preservar o melhor" do país e prepará-lo para o futuro.

 

Mariano Rajoy concluiu o discurso assegurando que o Seu Governo fez muito este ano e que no próximo "mais fará".

 

Espanha tem 25% da população desempregada e está a lutar para reduzir o seu défice e emergir da segunda recessão em três anos.

 

Desde que venceu as eleições aos socialistas, Rajoy subiu impostos, reduziu o orçamento para a saúde, educação e pensões reduzidas, entre outras medidas, lembra a Associated Press (AP).

 

Hoje, o país foi palco de manifestações contra as políticas do Governo em mais de 55 cidades. A Cúpula Social, que reúne mais de 150 organizações - entre as quais a CCOO e a UGT - protestou hoje em 56 manifestações nas quais apelou à cidadania como forma de defesa dos ataques do Governo, avança a agência Efe.




Marketing Automation certified by E-GOI