Economia Rei preside ao Conselho de Ministros que aprovará parte do maior ajuste da história de Espanha

Rei preside ao Conselho de Ministros que aprovará parte do maior ajuste da história de Espanha

O rei Juan Carlos preside hoje, no Palácio da Zarzuela, ao Conselho de Ministros que aprovará grande parte do ajuste de 65 mil milhões de euros anunciado na quarta-feira pelo chefe do Governo e que é considerado o maior de sempre em Espanha.
Lusa 13 de julho de 2012 às 11:01
É a primeira vez desde maio de 2008 que Juan Carlos preside a um Conselho de Ministros, num ato simbólico que ocorre, normalmente, uma vez em cada legislatura, no início do mandato do Governo.

Ao contrário da tradição, Juan Carlos não presidiu ao primeiro Conselho de Ministros do Governo liderado por Mariano Rajoy, em dezembro do ano passado, passando esse encontro simbólico para hoje.

Durante a primeira hora, sob presidência de Juan Carlos, o Conselho de Ministros decorre no Palácio da Zarzuela, transferindo-se depois -- já sem o chefe de Estado -- para o Palácio da Moncloa, onde serão aprovados vários decretos.

Do Conselho de Ministros de hoje sairá, entre outros decretos, a aprovação do corte do subsídio de natal para os funcionários públicos, a redução adicional de 600 milhões de euros no orçamento dos Ministérios e a reforma da administração local.

No caso dos membros do Governo, que apenas recebem 12 meses de salário por ano, será reduzido o salário de todos em cerca de 7% -- valor equivalente à perda do subsídio de natal.

O encontro aprovará também o aumento do IVA -- a taxa máxima sobre três pontos, para 21%, e a intermédia sobe dois pontos, para 10% -- e alterações a impostos progressivos, para o sector eléctrico.

No que toca à reforma da Administração Pública, o Governo reduzirá o número de folgas dos trabalhadores e alterará a lei de administração local, para delimitar competências das autarquias.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI