Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Sarkozy: "Se não tivermos um acordo, não vai haver uma segunda oportunidade"

O presidente francês considera que a Europa está "em perigo" e que "se não tivermos um acordo na sexta-feira, não vai haver uma segunda oportunidade". Veja aqui o vídeo.

Ana Laranjeiro alaranjeiro@negocios.pt 08 de Dezembro de 2011 às 14:26
  • Partilhar artigo
  • 3
  • ...
Nicolas Sarkozy (na foto com Angela Merkel), presidente francês, a discursar em Marselha no encontro do Partido Popular Europeu (PPE), sublinhou que a Europa está “numa situação de perigo extremo”.

Sarkozy apontou, segundo a Bloomberg, que o “diagnóstico” que pode ser feito é que o euro devia “transmitir confiança e não está a transmitir essa confiança”, .

Por isso, Sarkozy pede “coragem” aos seus congéneres europeus para que a Europa consiga pôr um ponto final definitivo na crise da dívida soberana.

Isto porque Sarkozy defendeu que “se não tivermos um acordo na sexta-feira, não vai haver uma segunda oportunidade”.

O presidente gaulês indiciou ainda que o euro precisa de ser refundado. Todavia, e para que uma solução seja encontrada para o fim da crise, a França e a Alemanha têm de convergir, ou seja, Paris e Berlim “tem de trabalhar em conjunto” para encontrar essa solução para o fim da crise.

E é nesse sentido que o responsável frisa que “nós precisamos de mais solidariedade na Zona Euro e mais disciplina”. A convergência franco-alemã terá sido já alcançada na segunda-feira passada, com a ida de Merkel a Paris para um encontro com o chefe de Estado francês.

Nesse encontro deverá ter ficado definido a proposta franco-alemã que vai ser apresentada aos restantes parceiros europeus na cimeira que começa hoje. Alemanha e França querem uma alteração dos tratados europeus que preveja, entre outras medidas, sanções para os países que tenham um défice superior a 3% por ano.

No discurso perante a sua família política europeia, Nicolas Sarkozy sublinhou ainda que os governos europeus “tem várias semanas” pela frente para chegarem a uma decisão que ponha um ponto final definitivo na crise. E tal como Durão Barroso fez esta manhã, à entrada para o encontro do PPE, o presidente francês salientou ainda que todo o mundo está a pedir ao “Velho Continente” que actue.

Na altura, o presidente da Comissão Europeia apontou que “o mundo está a olhar para a Europa”. E que o que espera de “todos os chefes de Estado e de Governo é que eles não digam aquilo que não podem fazer, mas aquilo que podem fazer”.

Ver comentários
Saber mais Sarkozy Europa PPE Merkel convergencia crise da dívida euro
Outras Notícias