Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Sector automóvel leva acções europeias à maior desvalorização desde o início do mês

As acções do Velho Continente corrigiram parte dos ganhos da última semana e registaram a maior descida desde o início do mês. A pressionar esteve, sobretudo, o sector automóvel após ter sido divulgada uma estimativa para as vendas de carros na China durante este ano.

Hugo Paula hugopaula@negocios.pt 20 de Março de 2012 às 19:06
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...
O índice de referência para as acções europeias, o Stoxx 600, desvalorizou hoje 1,14% para 268,97 pontos e desempenhou a maior perda desde o dia 6 de Março. Esta foi a segunda perda consecutiva do índice, que ainda não chegou a compensar a totalidade dos ganhos acumulados na semana passada. Nos cinco dias que culminaram a 16 de Março, o índice ascendeu 2,6%, o que constitui o maior ganho semanal desde o início de Fevereiro.

Apesar da desvalorização registada hoje, as acções europeias desempenham uma valorização de 10% desde o início do ano, ao beneficiarem da política expansionista do Banco Central Europeu.

“A semana passada vimos uma grande valorização e não é nenhuma surpresa que estejamos a assistir a uma pausa durante esta semana”, disse o sócio do Cheviot Asset Management, David Miller à Bloomberg. “Tem havido a crescente percepção de que os dados económicos, em particular os provenientes dos EUA, têm sido consistentemente bons e na Europa tem havido uma ausência de más notícias”, acrescentou.

Entre 18 mercados accionistas nacionais da Europa Ocidental foram 15 os que desvalorizaram. O alemão DAX perdeu 1,39% na sessão para encerrar nos 7.054,94 pontos e o parisiense CAC recuou 1,32% para 3.530,83 pontos. Já o IBEX perdeu 0,28% para 8.567,50 pontos e o Footsie desvalorizou 1,17% para 5.891,41 pontos.

O sector automóvel destacou-se pela negativa, depois de ter sido divulgada uma estimativa para as vendas de automóveis na China, prevendo que estas falhem a meta de crescimento de 8% face ao ano passdo e fiquem aquém de um crescimento de 5%, disse a Associação de Produtores Automóveis da China.

Uma notícia que afectou, em particular, as acções das marcas “premium”. Como a BMW, que desvalorizou 5% para 68,22 euros por acção e a Daimler, dona da Mercedes, que recuou 4,4% para 45,05 euros. Já a Volkswagen, dona da Audi, recuou 4,4% na mesma proporção (4,4%) para 133,05 euros.

A Renault perdeu 3,4% para 40,16 euros por acção depois de anunciar que a sua unidade no Japão, a Nissan, está próxima de conseguir um acordo para adquirir o controlo da OAO AvtoVAZ “em breve”.
Ver comentários
Saber mais Acções Europa mercados bolsa
Outras Notícias