Europa Sondagem dá vitória aos independentes na Catalunha

Sondagem dá vitória aos independentes na Catalunha

A plataforma Junts pel Si, que junta vários partidos separatistas às eleições antecipadas de 27 de Setembro, está perto da maioria absoluta, de acordo com uma sondagem divulgada esta sexta-feira. Estas eleições são vistas como um referendo informal à independência.
Sondagem dá vitória aos independentes na Catalunha
Bloomberg
Bruno Simões 18 de setembro de 2015 às 12:03

Os partidos pró-independência estão perto de conseguir assegurar a maioria absoluta nas eleições regionais antecipadas na Catalunha. A votação, que é vista como um plebiscito à independência da região, está marcada para 27 de Setembro e a coligação Junts pel Si (Juntos pelo Sim), que junta quatro partidos que advogam a independência da Catalunha, deverá ter mais de 40% dos votos, segundo uma sondagem da empresa GAD3 divulgada pela Bloomberg.

 

Segundo declarações à agência de Narciso Michavila, o líder da empresa de sondagens, a plataforma Junts pel Si deverá conseguir manter os votos conseguidos pelos partidos pró-independência em 2012, quando concorreram de forma separada. Só o partido de Artur Mas, presidente do governo regional e líder do CDC, e a Esquerra Republicana (ERC), de Oriol Junquera, conseguiram segurar 71 dos 135 lugares do parlamento regional (o equivalente a 43,7% dos votos) nas eleições regionais de 2012. Mas aliou-se a Junquera depois das eleições e juntos conseguiram a maioria no parlamento regional.

Desta feita, a coligação é pré-eleitoral e além do CDC e da ERC concorrem ainda os partidos Demòcrates de Catalunya e o Moviment d'Esquerres. O objectivo é que a maior economia de Espanha seja independente.

Com uma vitória da plataforma Junts pel Si, é até possível que a independência seja declarada de forma unilateral. "Se no processo o Estado espanhol, através de decisões jurídicas ou políticas, bloquear o 'autogoverno' da Catalunha, do governo ou do parlamento catalão, avançaremos com uma declaração de independência", declarou Raul Romeva, antigo deputado europeu e cabeça de lista da coligação, em declarações feitas em Julho.

Consulta popular deu 80% de votos a favor da independência

 

Depois de não ter conseguido realizar um referendo sobre a independência da Catalunha, em Novembro do ano passado, Artur Mas quer agora recolher o apoio popular para assim forçar a saída da região do reino de Espanha. Na altura, a intenção de Mas contou com a oposição frontal de Mariano Rajoy. Artur Mas levou a cabo uma consulta alternativa sobre a independência, sem efeitos vinculativos, em que a possibilidade de a Catalunha ser independente recolheu 80% dos votos (a abstenção rondou os 67%).

Já em Fevereiro deste ano, o Tribunal Constitucional espanhol chumbou por unanimidade as consultas populares levadas a cabo por Artur Mas.

O presidente do governo regional catalão convocou, por isso, eleições antecipadas para 27 de Setembro para tentar alcançar um mandato que lhe dê essa legitimidade e conseguir fazer a separação. Apesar de 40% poder não ser suficiente para ter maioria absoluta, a plataforma independentista pode ainda virar-se para a Candidatura d'Unitat Popular (CUP), que rejeitou integrar a coligação e deve conseguir eleger seis ou sete deputados – o que poderá ser mais do que suficiente para a maioria absoluta.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI