Europa Trichet: "O euro mostrou uma capacidade de se manter nas piores circunstâncias internacionais"

Trichet: "O euro mostrou uma capacidade de se manter nas piores circunstâncias internacionais"

O ex-presidente do Banco Central Europeu identificou os sucessos do euro, argumentando que a superação da crise é o exemplo da resiliência da moeda única.
Trichet: "O euro mostrou uma capacidade de se manter nas piores circunstâncias internacionais"
Matthew Lloyd
Tiago Varzim 15 de janeiro de 2019 às 11:33
Jean-Claude Trichet, ex-presidente do Banco Central Europeu, assinalou a "resiliência" do euro numa altura em que se comemoram duas décadas da criação da moeda única. Para o antecessor de Mario Draghi, a superação da crise financeira internacional é a prova de que o euro tem uma "grande resistência". 

Assumindo que está "emocionado" pelos 20 anos do euro, Trichet continua a defender a divisa que ajudou a construir nos seus primeiros anos. "Os países da Zona Euro demonstraram uma grande resistência durante a pior crise económica desde a segunda guerra mundial", afirmou o ex-presidente do BCE, esta terça-feira, 15 de janeiro.  

Estas declarações foram feitas no Parlamento Europeu, em Estrasburgo, na comemoração dos 20 anos do euro. Foi a 1 de janeiro de 1999 que 11 países, incluindo Portugal, fizeram a maior operação de transição para uma moeda única. Contudo, a moeda só começou a circular a 1 de janeiro de 2002.

Trichet recorda que "os momentos eram difíceis, tal como são agora", na altura em que o euro foi criado. Apesar disso, para o ex-líder da política monetária da Zona Euro, o tempo mostrou a resiliência da moeda única: "Diziam que o euro não sobreviveria muito tempo... Mas o euro mostrou uma capacidade de se manter nas piores circunstâncias internacionais".

Citando números do Fundo Monetário Internacional (FMI), Trichet deu mais um exemplo do "sucesso do euro": "Não há uma diferença substancial entre o crescimento económico da Zona Euro e dos Estados Unidos desde a criação do euro". 


Jean-Claude Trichet assinala que a credibilidade monetária internacional e a estabilidade da moeda são um dos sucessos do euro. Mas o "euro é um processo, não é um acontecimento", sublinhou, referindo que é preciso completar a União Económica e Monetária (UEM), nomeadamente com a constituição de um orçamento para a Zona Euro. 

Atualmente o euro é usado em 19 países (Zona Euro), partilhado assim por mais de 340 milhões de europeus. A moeda única é a segunda maior divisa do mundo. Segundo os dados do Banco Central Europeu (BCE), o euro tem uma quota de mercado de 39%, próximo dos 40% do dólar. 

Nesta comemoração estão presentes alguns dos principais nomes das instituições europeias: o presidente do Eurogrupo, Mário Centeno; o presidente do Banco Central Europeu, Mario Draghi; o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker; o presidente do Parlamento Europeu, Antonio Tajani; e o ex-presidente do Banco Central Europeu, Jean-Claude Trichet. 

O jornalista em Estrasburgo, a convite do Parlamento Europeu



pub

Marketing Automation certified by E-GOI