União Europeia Brexit: Passos defende "separação amigável" em vez de "divórcio litigioso"

Brexit: Passos defende "separação amigável" em vez de "divórcio litigioso"

O líder social-democrata diz que é preciso que a Europa se deixe de "amuos" para com o Reino Unido e dê antes confiança aos cidadãos e à economia. Uma saída de Londres deve manter os britânicos próximos da Europa, defendeu.
Brexit: Passos defende "separação amigável" em vez de "divórcio litigioso"
Paulo Zacarias Gomes 28 de junho de 2016 às 12:03

O líder do PSD criticou esta manhã a atitude de punição do Reino Unido pela decisão de saída da União Europeia validada em referendo e defendeu que a Europa deve procurar um entendimento com Londres que mantenha a economia britânica mais próxima do Velho Continente.

"Castigar os britânicos como uma espécie de vacina para que outros países não sigam o mesmo caminho é o caminho mais directo para que isso possa acontecer", afirmou Passos Coelho esta terça-feira, 28 de Junho, aos jornalistas em Bruxelas, à margem da cimeira do Partido Popular Europeu.

O ex-primeiro-ministro considerou que a União Europeia é "um projecto de prosperidade e paz" e manifestou-se contra "sentimentos de azia" e "amuos" em relação a Londres, pedindo antes palavras de confiança para os cidadãos e as empresas e uma "declaração forte de todos os envolvidos de que não querem uma espécie de divórcio litigioso, mas uma separação amigável" com o Reino Unido.

No dia em que o Parlamento Europeu aprovou por maioria uma resolução que tenta pressionar o Reino Unido a activar os procedimentos formais de saída previstos no artigo 50.º do Tratado de Lisboa, Passos defendeu que é preciso procurar abertura junto do próximo governo britânico "para negociar uma saída que mantenha o Reino Unido mais próximo possível do mercado europeu".

Os eleitores do Reino Unido aprovaram com uma maioria de 52% a saída do Reino Unido da União Europeia no referendo da passada quinta-feira. 




pub

Marketing Automation certified by E-GOI