União Europeia Johnson tenta hoje a sua primeira vitória no Parlamento

Johnson tenta hoje a sua primeira vitória no Parlamento

Os deputados britânicos vão decidir se viabilizam o calendário proposto por Boris Johnson e que estipula que a legislação para garantir o Brexit a 31 de outubro será aprovada até quinta-feira.
Johnson tenta hoje a sua primeira vitória no Parlamento
Reuters
Sara Antunes 22 de outubro de 2019 às 12:02

Boris Johnson segue em contrarrelógio. Para que seja possível concretizar o Brexit no dia 31 de outubro será preciso acelerar o processo de aprovação da legislação. E os trabalhos arrancam hoje. O desejo de Johnson é que prossigam e sejam concluídos até quinta-feira. Mas está nas mãos dos deputados aprovar ou chumbar este calendário.

 

O Governo britânico publicou na segunda-feira a Lei para o acordo de saída, composta por 110 páginas. O debate no Parlamento vai arrancar esta terça-feira, pelas 13:15, e o seu desfecho será decisivo para os próximos passos.

 

O debate deverá prolongar-se até às 19:00, altura em que os deputados deverão ser questionados se apoiam, na generalidade, a legislação permitindo que vá novamente a plenário. O site do Parlamento britânico explica que esta segunda ronda é a "primeira oportunidade para os deputados debaterem as principais questões" de uma legislação. Só depois de aprovada esta segunda vez é que a legislação desce às comissões, onde são discutidos e eventualmente alterados artigos. 

 

Se a decisão for positiva, os deputados deverão votar o calendário estipulado pelo Governo de Johnson e que determina que o escrutínio da legislação e a sua aprovação será feito no espaço de três dias.

 

O calendário proposto é a questão que está a levantar mais dúvidas, com a oposição a considerar pouco o tempo para debater a legislação em causa.

 

Boris Johnson está numa corrida contra o tempo, uma vez que está determinado em concretizar o Brexit a 31 de outubro, sem mais prolongamentos. Ainda na segunda-feira voltou a apelar aos deputados para que aprovem a legislação e permitam que o país siga em frente e se concentre noutras questões determinantes.

 

"Espero que o Parlamento vote para recuperar o controlo", realçou ontem Johnson numa declaração, citado pela Reuters. "A população não quer mais adiamentos, nem os outros líderes europeus, nem eu. Vamos assegurar o Brexit a 31 de outubro e seguir em frente", apelou.

 

"Negociámos um novo acordo para que pudéssemos sair sem disrupções e fornecendo uma nova rede para uma nova relação baseada no comércio livre e na cooperação", salientou Johnson neste último apelo. "Estamos a sair da União Europeia, mas seremos sempre europeus", salientou.




Saber mais e Alertas
pub

Marketing Automation certified by E-GOI