União Europeia Libra dispara com notícia sobre proximidade de acordo no Brexit

Libra dispara com notícia sobre proximidade de acordo no Brexit

A Bloomberg avança que as equipas responsáveis pelas negociações com vista ao Brexit estão próximas de um rascunho que sirva de base a um acordo de princípios sobre os pressupostos jurídicos da saída britânica da UE. Libra reagiu em alta e segue em máximos de maio contra o euro.
Libra dispara com notícia sobre proximidade de acordo no Brexit
EPA
Negócios com Bloomberg 15 de outubro de 2019 às 15:56

O Reino Unido e a União Europeia estarão próximos de chegar a um acordo de princípio sobre os termos jurídicos do Brexit, avança a agência Bloomberg com base em duas fontes comunitárias conhecedoras do processo negocial que decorre em paralelo tanto ao nível técnico como político.

Em reação a esta notícia, a libra disparou para uma subida em torno de 1% tanto face ao euro como contra o dólar, estando respetivamente em máximos de maio e junho relativamente a estas divisas.

Ainda segundo aquela agência noticiosa, qualquer acordo que venha a ser alcançado entre as partes deverá obrigar o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, a requerer apoio dos 10 deputados dos unionistas da Irlanda do Norte (DUP), visto que os conservadores já não dispõem de maioria na Câmara dos Comuns.

Esta informação surge depois de, esta manhã, Michel Barnier, chefe da missão negocial europeia para o processo do Brexit, ter estabelecido até à meia-noite de hoje como prazo-limite para o Reino Unido fazer as cedências necessárias às exigências comunitárias por forma a tornar possível um compromisso entre as partes, designadamente aceitar que seja criada uma fronteira aduaneira no Mar da Irlanda, o que evitaria a criação de uma fronteira física terrestre entre as duas Irlandas e manteria a Irlanda do Norte no mercado único europeu.

A União Europeia insiste na necessidade de um mecanismo de salvaguarda para evitar controlos rígidos na fronteira irlandesa – o chamado backstop –, na manutenção da Irlanda do Norte no mercado único, isto além da fronteira aduaneira no Mar irlandês, sendo que esta ideia foi rejeitada pelo governo britânico então liderado por Theresa May. O plano alternativo para o Brexit apresentado por Johnson, e prontamente considerado insuficiente por Bruxelas, não contempla o backstop e retira a Irlanda do Norte do mercado único.

Caso contrário, avisou o francês Barnier, o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, terá de comunicar ao parlamento do Reino Unido não ter um tratado jurídico sobre os termos do divórcio para levar a votos. O comissário francês revelou ainda ter já comunicado aos 27 Estados-membros o ponto da situação, sendo que o Independent noticia que Barnier terá revelado aos seus pares que as propostas britânicas continuam sem cumprir os mínimos necessários a um acordo.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI