União Europeia Linha Brexit para emigrantes recebeu 192 chamadas no primeiro dia

Linha Brexit para emigrantes recebeu 192 chamadas no primeiro dia

O atendimento telefónico para portugueses no Reino Unido foi lançado esta segunda-feira e recebeu 192 pedidos de apoio logo no primeiro dia. Por cá, o Brexit ajuda a entupir IMT.
Linha Brexit para emigrantes recebeu 192 chamadas no primeiro dia
Lusa
Filomena Lança 03 de abril de 2019 às 11:47

A Linha Brexit, centro de atendimento consular especificamente dirigido aos cidadãos portugueses residentes no Reino Unido, foi anunciada nesta segunda-feira, 1 de abril e, logo no primeiro dia, recebeu 192 chamadas, das quais 89 para agendamento de serviços nos consulados de Londres e Manchester. Somaram-se-lhe ainda 78 emails.

 

O balanço foi dado esta quarta-feira, 3 de abril, no Parlamento pela ministra da Presidência e da Modernização Administrativa, Mariana Vieira da Silva, na sua primeira audição parlamentar na Comissão de Orçamento, Finanças e Modernização Administrativa, desde que tomou posse, substituindo no cargo Maria Manuel Leitão Marques.

 

A nova linha de apoio funciona por via telefónica (00 44 20 36 3684) ou através de correio eletrónico (cac.ru@ama.pt) e, através dela, os emigrantes portugueses podem ver esclarecidas dúvidas sobre a saída do Reino Unido da União Europeia, pedir informações para a emissão de documentos de identificação ou agendar atendimentos.

 

Segundo a Lusa, de acordo com dados dos serviços consulares, 302 mil cidadãos portugueses estão registados no Reino Unido, 245 mil dos quais na área de jurisdição do consulado-geral em Londres e 57 mil na área de jurisdição do de Manchester.

 

Mariana Vieira da Silva foi também questionada pela oposição sobre as filas de espera que nos últimos tempos se têm feito sentir no Instituto da Mobilidade e dos Transportes (IMT), nomeadamente na delegação do Algarve, onde os serviços não estão a conseguir dar resposta à elevada procura. Segundo a governante, além do aumento de acessos motivado pelos pedidos de licenciamento e de certificação da atividade de transporte individual e remunerado de passageiros em veículos descaracterizados (TVDE), em plataformas como a Uber ou Cabify, o problema está precisamente no Brexit.

 

Isto porque, explicou a ministra, se tem vindo a registar um aumento de acesso de pessoas que querem trocar os seus títulos de condução estrangeiros, por forma a poderem continuar a conduzir sem problemas no Reino Unido e dentro da União Europeia.

 

Sobre as filas de espera em geral, que se verificam nos vários postos de atendimento público, Mariana Vieira da Silva salientou que este ano se assinalam os 20 anos da primeira Loja do Cidadão, nas Laranjeiras, e que ao longo da corrente legislatura foram abertas 18 do mesmo género, por todo o país. Em Lisboa abre até junho a Loja do Cidadão de Picoas, mas às lojas do cidadão somam-se pelo menos 53 espaços do cidadão só na zona da grande Lisboa e "se mais gente a eles recorresse, as filas de espera seriam menores", lembrou a ministra.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI