União Europeia Obama assegura relação e parceria forte com o Reino Unido e UE

Obama assegura relação e parceria forte com o Reino Unido e UE

O presidente dos EUA mostra-se confiante que o Reino Unido e a União Europeia vão ser “capazes de acordar uma transição ordeira para uma nova relação”. Barack Obama defende que os EUA vão continuar a ter relações com o Reino Unido e UE.
Obama assegura relação e parceria forte com o Reino Unido e UE
REUTERS
Ana Laranjeiro 08 de julho de 2016 às 10:34

"Este pode ser o momento mais importante para a nossa aliança transatlântica desde o fim da Guerra Fria". Assim começa o artigo de opinião assinado por Barack Obama, presidente dos Estados Unidos da América (EUA), numa altura em que o líder está na capital polaca, Varsóvia, para participar no encontro da NATO.

Obama sublinha que os "ataques terroristas inspirados ou dirigidos pelo Estado Islâmico massacraram inocentes em países da NATO" e os conflitos da África à Síria e ao Afeganistão "enviaram ondas de migrantes a procurarem refúgio na Europa". "A agressão russa conta a Ucrânia ameaça a nossa visão da Europa como um todo, livre e em paz. A votação do Reino Unido para deixar a União Europeia levanta questões significativas sobre o futuro da integração europeia", refere, num artigo de opinião publicado no Financial times.


Antes de dedicar dois parágrafos a este último tema, o presidente norte-americano apela que, no encontro da NATO, os líderes presentes manifestem a sua "vontade política e façam compromissos concretos que vão ao encontro destes desafios urgentes". "Acredito que podemos – mas apenas se permanecermos unidos como verdadeiros aliados e parceiros".

Sobre o processo de saída do Reino Unido da União Europeia (UE), "e por mais difícil que vá ser, estou confiante que o Reino Unido e a UE vão ser capazes de acordar uma transição ordeira para uma nova relação", numa altura "em que todos os nossos países estão focados em assegurar a estabilidade financeira e no crescimento da economia mundial".

Apesar disto, Obama garante há uma coisa que não vai mudar: "a relação especial entre os EUA e o Reino Unido vai permanecer". "Não tenho dúvidas que o Reino Unido vai continuar a ser um dos membros mais capazes da NATO – uma nação que paga na totalidade a sua percentagem pela nossa segurança comum e é um dos principais contribuintes para a segurança europeia", sustenta.

Olhando para a Europa, Obama diz que "da mesma forma, os EUA vão continuar a ter um parceiro indispensável na União Europeia".

"Os EUA e a UE têm a maior relação comercial e de investimento do mundo e a nossa cooperação vai ser essencial para estimular o crescimento mundial e reduzir a desigualdade através de investimentos públicos para que a globalização dê oportunidades para todos, não apenas para aqueles que estão no topo". E garante: "a Europa vai continuar a ser pedra angular do envolvimento da América no mundo".

Neste artigo de opinião, o líder da maior economia mundial refere ainda que apesar do "Brexit criar alguma incerteza", a prosperidade comum vai assentar nas fundações da NATO. 




pub

Marketing Automation certified by E-GOI