Zona Euro Bolsa grega valoriza mais de 5% depois de decisão do BCE. Syriza destaca-se nas sondagens

Bolsa grega valoriza mais de 5% depois de decisão do BCE. Syriza destaca-se nas sondagens

À imagem do que acontece nas principais praças europeias, também a Grécia está a beneficiar do anúncio de compra de dívida pelo BCE. A praça grega destaca-se mesmo entre as suas congéneres estando a disparar mais de 5%. Em sentido inverso seguem as taxas de juro da dívida pública helénica, numa altura em que as sondagens indicam que o Syriza descolou face ao Nova Democracia para uma vantagem de 5 pontos.
Bolsa grega valoriza mais de 5% depois de decisão do BCE. Syriza destaca-se nas sondagens
Reuters
David Santiago 23 de janeiro de 2015 às 11:58

A praça grega está a valorizar 5,16%, assumindo-se como a bolsa europeia que mais está a beneficiar da confirmação, dada esta quinta-feira, de que o Banco Central Europeu (BCE) vai adoptar um programa alargado de compra de títulos de dívida. Após a conferência de imprensa de Mario Draghi, presidente do BCE, os partidos gregos estiveram em sintonia ao avaliar como positiva esta decisão da autoridade monetária. O próprio Syriza saudou o anúncio feito por Draghi.

 

Desta forma, a praça grega segue a recuperar das perdas acumuladas nas últimas semanas, tendência que começou a acentuar-se em meados de Dezembro com o anúncio, pelo primeiro-ministro Antonis Samaras, de eleições presidenciais antecipadas.

 

Ora, foi precisamente a incapacidade para eleger o candidato da maioria governativa, Stavros Dimas, que iniciou o processo que culminará com as legislativas agendadas para este domingo, 25 de Janeiro.

 

Também as taxas de juro exigidas pelos investidores para comprarem dívida pública helénica nos mercados secundários registam uma forte queda.

 

No prazo a três anos, a "yield" recua 66 pontos base para os 9,676%, na maturidade a 5 anos a taxa de juro desce 73,6 pontos para 8,910% e a 10 anos cai 22,2 pontos base para 8,745%. Já na maturidade a 30 anos, a taxa de juro recua 23,7 pontos para 7,668.

 

Syriza descola do Nova Democracia nas sondagens mais recentes

 

As últimas sondagens sobre as eleições parlamentares gregas mostram que o aproximar do acto eleitoral tem sido benéfico para a coligação de esquerda radical Syriza, que parece ter descolado face ao segundo classificado, o Nova Democracia (ND) do primeiro-ministro Samaras.

 

De acordo com a agência Bloomberg, a sondagem do GPO para a Mega TV atribui a vitória ao partido de Alexis Tsipras com 32,5% dos votos, com mais 6 pontos percentuais do que os 26,5% do ND. Esta sondagem confirma ainda a aparente afirmação do partido social-liberal To Potami enquanto terceira força política grega com 5,8%.

 

O partido liderado por Stavros Theodorakis anunciou recentemente a disponibilidade para negociar uma solução de governo com o Syriza, desde que o partido de Tsipras não coloque em causa a permanência da Grécia na Zona Euro nem o essencial dos compromissos assumidos nos memorandos assinados com a troika.

 

Esta sexta-feira, também o Kathimerini cita duas novas sondagens que confirmam a crescente probabilidade de vitória da coligação de esquerda radical. Uma sondagem publicada no jornal Avgni refere que o Syriza conseguiria 35%, o ND 30% e o To Potami 7%. O Aurora Dourada (6,5%), o Partido Comunista Grego (6%), o Pasok (5,5%) e os Gregos Independentes (3,5%) também conseguiriam entrar no parlamento. Por outro lado, o recém-criado Movimento para a Mudança do ex-primeiro-ministro George Papandreou com apenas 2,5% não conseguiria o mínimo de 3% exigidos para entrar no parlamento helénico.

 

Outra sondagem citada pelo Kathimerini é o estudo de opinião a que atribui uma a vitória mais folgada ao Syriza. A sondagem conduzida pela Palmos para o sítio TVXS garante ao partido de Tsipras uma vantagem de 10 pontos sobre o partido conservador-liberal.

 

Segundo este estudo de opinião, o Syriza venceria as eleições de domingo com 30,2%, face aos 20,3% do ND. A sondagem da Palmos aponta o partido de inspiração neonazi Aurora Dourada para a terceira posição (6,8%), seguindo pelo To Potami (5,1%), pelos comunistas gregos (4,3%) e pelo Pasok (3,4%). Por fim, neste estudo nem os Gregos Independentes (2,2%), nem o partido de Papandreou (1,7%), alcançam nenhum assento parlamentar.

 




pub

Marketing Automation certified by E-GOI