Zona Euro Bruxelas dá mais três semanas a Portugal para escapar a sanções

Bruxelas dá mais três semanas a Portugal para escapar a sanções

A Comissão Europeia vai dar mais três semanas a Portugal e a Espanha para evitar as sanções resultantes do incumprimento do défices.
Bruxelas dá mais três semanas a Portugal para escapar a sanções
Reuters
Celso Filipe 03 de julho de 2016 às 15:45
A Comissão Europeia vai dar mais três semanas a Portugal e a Espanha para evitar as sanções resultantes do incumprimento do défices. O anúncio deste prolongamento do prazo será anunciado na próxima terça-feira, dia 5 de Julho, avança a Reuters, citando fonte de Bruxelas familiarizada com as decisões da Comissão Europeia.

A agência noticiosa adianta  que a Comissão Europeia dará a Portugal e a Espanha um prazo até 27 de Julho, durante o qual estes deverão propor remédios efectivos que sejam considerados suficientes para escapar às sanções previstas nos regulamentos comunitários

Esta extensão do prazo é um compromisso entre aqueles que a Reuters classifica como os "falcões orçamentais", liderados pela Alemanha, e os "campeões" da flexibilidade, que defendem mais margem de manobra numa conjuntura marcada por um crescimento anémico da economia, por altas taxas de desemprego e por um cada vez maior apoio aos partidos anti União Europeia.

Na semana passada o primeiro-ministro italiano, Matteo Renzi, já havia defendido que Portugal e a Espanha não deviam ser sancionados pelo incumprimento das metas do défice relativo a 2015. Em contrapartida, o presidente do Bundesbank, o banco central alemão, veio a público afirmar que a União Europeia não devia relaxar em matéria de regras fiscais. 

As regras de Bruxelas exigem que os Estados-membros tenham défices inferiores a 3% do PIB. Em 2015 o défice de Portugal situou-se em 4,4% do PIB  e do Espanha em 5,2% do PIB.

Segundo a Reuters, a Comissão Europeia considera que em Portugal continuam a existir muitas resistências ao corte de despesa pública. Já em relação a Espanha a preocupação é outra e deriva do facto do país ainda se encontrar numa situação política complicada, resultante do facto das eleições do passado domingo não terem dado uma maioria absoluta ao Partido Popular (PP). Neste quadro, o líder do PP, Mariano Rajoy, continua a precisar de estabelecer alianças para formar um Governo.

A Comissão Europeia, de acordo com outro fonte citada pela Reuters, está disposta a "perdoar" Portugal e Espanha se os dois países mostrarem vontade efectiva em controlar o défice. "Precisamos de punir os seus pecados do passado, mas com o olho na sua futura redenção", sublinhou o mesmo interlocutor.

(Notícia actualizada com mais informação às 16:15)



pub

Marketing Automation certified by E-GOI