Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

António Costa quer nova abordagem da Europa à crise alargada a Portugal

Para o líder do PS, a vitória do "não" no referendo abre uma "oportunidade para uma nova abordagem da crise que não se centre exclusivamente na Grécia". Diz ainda ser inaceitável que o resultado de domingo leve à exclusão do país da Zona Euro.

Miguel Baltazar/Negócios
Eva Gaspar egaspar@negocios.pt 06 de Julho de 2015 às 13:40
  • Partilhar artigo
  • 26
  • ...

António Costa, líder do partido socialista, defendeu nesta segunda-feira que a vitória do "não" no referendo grego abre uma "oportunidade para uma nova abordagem da crise que não se centre exclusivamente na Grécia".

"Agora que a Grécia se expressou em liberdade é o momento de agirmos em defesa do projecto europeu. A expressiva vitoria do ‘não’ deve ser aproveitada para uma nova abordagem da crise que respeite a igualdade e a dignidade dos Estados-membros".

 

"A crise tem uma natureza sistémica pelo que deve ter uma abordagem conjunta e solidária em escrupuloso respeito da igualdade dos Estados", disse, explicando que, no caso de Portugal, é preciso que o programa de ajustamento seja agora seguido de um "programa de relançamento económico".

 

O secretário-geral do PS disse ainda ser inaceitável que o resultado do referendo possa  conduzir à exclusão da Grécia do euro, exigindo que o Governo português defenda a integridade irreversível da moeda única e nova abordagem da crise financeira.

 

"A decisão soberana do povo grego de rejeitar a proposta de acordo que foi submetida a referendo tem de ser respeitada, como o foram, aliás, em outras ocasiões, deliberações referendárias de outros Estados membros. É absolutamente inaceitável que a recusa desta proposta seja entendida como recusa de participar na Zona Euro ou possa servir de pretexto para tentar, ao arrepio dos tratados, excluir a Grécia do euro", afirmou.

 

António Costa aproveitou ainda a ocasião para considerar que o resultado do referendo grego é também "uma última oportunidade para o Governo português adoptar uma posição construtiva, que sirva o interesse nacional e a urgência para as famílias e empresas portuguesas de virarmos a página da austeridade, relançar a economia e o emprego, e de garantir um novo impulso para a convergência de Portugal com a União Europeia e a confiança no euro".

Ver comentários
Saber mais PS Zona Euro Grécia António Costa União Europeia referendo
Outras Notícias