Zona Euro FMI mantém expectativa de que a Grécia cumpra pagamento de 1,6 mil milhões de euros

FMI mantém expectativa de que a Grécia cumpra pagamento de 1,6 mil milhões de euros

Se as autoridades helénicas não procederem ao pagamento, Lagarde comunicará de imediato a falta de pagamento ao “board” do FMI, colocando a Grécia em incumprimento. Apesar de a directora-geral do FMI dispor de um mês para formalizar a falta de pagamento, já decidiu que o fará na hora.
A carregar o vídeo ...
David Santiago 25 de junho de 2015 às 19:19

O Fundo Monetário Internacional (FMI) mantém a expectativa de que na próxima terça-feira, 30 de Junho, a Grécia proceda ao pagamento previsto de quase 1,6 mil milhões de euros. Caso não o faça, a directora-geral da instituição, Christine Lagarde, irá comunicar "de imediato", ao "board" do FMI, a falta de pagamento, colocando assim a Grécia na situação de incumprimento.

 

A informação foi avançada, esta quinta-feira, 25 de Junho, pelo director de comunicação do FMI, Gerry Rice. Segundo Gerry Rice, citado pela agência Bloomberg, mesmo que a Grécia não chegue a acordo com os credores que permita obter a liquidez necessária ao cumprimento da devolução agendada, Lagarde não recorrerá ao prazo de 30 dias, que tem à sua disposição, antes de formalizar a comunicação sobre a falta de pagamento ao "board" do Fundo.

 

As autoridades helénicas já admitiram que sem um acordo com os credores - que permita desbloquear a tranche de 7,2 mil milhões de euros prevista no programa de ajuda à Grécia e cuja disponibilização está dependente da última avaliação ao cumprimento do segundo memorando negociado entre Atenas e a então designada de troika - não conseguir cumprir o pagamento.

 

Depois de em Maio ter assegurado o pagamento das obrigações detidas pelo FMI através do recurso às reservas de emergência que os países-membros detêm junto da própria instituição, as autoridades helénicas adiaram e acumularam os quatro pagamentos previstos no presente mês de Junho para o próximo dia 30. Atenas mantém a expectativa de desbloquear o impasse nas conversações com as instituições credoras. A 20 de Julho a Grécia terá de devolver 3,62 mil milhões de euros ao Banco Central Europeu (BCE).

 

Já depois do "briefing" do director de comunicação do FMI, Lagarde declarava, em Bruxelas, que ainda é necessário prosseguir os trabalhos ao nível técnico para tentar conciliar um acordo com as autoridades helénicas. Apesar da expectativa de um acordo até ao final desta semana criada na passada segunda-feira pela proposta apresentada pela Grécia, o Eurogrupo extraordinário que decorreu hoje culminou sem acordo à vista. As negociações ao nível técnico irão prosseguir já esta sexta-feira, havendo a expectativa ainda não confirmada de nova reunião dos ministros das Finanças do euro no sábado de manhã. 

 

A Bloomberg refere que o adiamento do pagamento requisitado pela Grécia é o primeiro desde os anos 1980, na altura a pedido da Zâmbia. Os países que entrem em incumprimento perante o FMI deixam de estar elegíveis a novos financiamentos enquanto persistam pagamentos em atraso. Após dois anos em que o incumprimento junto do FMI se mantenha, os países enfrentam o potencial risco de expulsão daquela organização internacional.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI