Zona Euro Varoufakis sob fogo depois de Galbraith confirmar plano para regressar ao dracma

Varoufakis sob fogo depois de Galbraith confirmar plano para regressar ao dracma

O economista James Galbraith conta em novo livro que havia um "Plano X" que pressuponha, de facto, a transição do euro para o "novo dracma". Varoufakis e Tsipras sempre o negaram.
Varoufakis sob fogo depois de Galbraith confirmar plano para regressar ao dracma
Bloomberg
Negócios 06 de julho de 2016 às 13:26

Os partidos gregos na oposição voltaram nesta semana a exigir a instalação de uma comissão de inquérito para apurar as responsabilidades do ainda primeiro-ministro Alexis Tsipras e do seu ex-ministro das Finanças Yanis Varoufakis num alegado plano de fazer regressar a Grécia ao dracma. O assunto voltou agora à ribalta na sequência das revelações do economista norte-americano James Galbraith, segundo as quais Varoufakis tinha de facto preparado no ano passado um "Plano B" que passava pela imposição do estado de emergência, a nacionalização do banco da Grécia e a reconversão de euros para "novos dracmas" dos depósitos bancários.

A existência desse plano havia sido já noticiada há um ano, depois de o próprio Varoufakis o ter admitido durante uma teleconferência com integrantes de fundos de hedge em 16 de Julho, dez dias depois de deixar o cargo de ministro das Finanças. O ex-ministro contava que havia sido autorizado ainda em 2014 por Alexis Tsipras, então candidato a primeiro-ministro pelo Syriza, a desenvolver um sistema bancário paralelo, para o qual teria de piratear as contas e senhas dos contribuintes. Varoufakis negou, porém, que houvesse qualquer intenção de regressar ao dracma, apenas a de desenvolver um sistema paralelo para garantir liquidez em caso de fecho dos bancos – o que acabou por acontecer, por decisão última do então ministro das Finanças. O Syriza, partido de extrema-esquerda, defendia no seu programa original a saída da Grécia do euro mas apresentou-se ao eleitorado nas eleições que tiveram lugar no início de 2015 prometendo manter o país na união monetária europeia.

No seu novo livro, "Welcome to the Poisoned Chalice: The Destruction of Greece and the Future of Europe", James Galbraith contesta esta versão, escrevendo que o "Plano B" (ou "Plano X", como diz ter sido chamado) pressuponha, de facto, a transição do euro para o "novo dracma", que havia inclusive planos para os ministros da Defesa Nacional e do Interior preservarem a ordem pública e o racionamento de combustível e que seria o primeiro-ministro a fazer um anúncio sobre a introdução da nova moeda.

Estas revelações levaram a oposição a exigir uma comissão de inquérito. Evangelos Venizelos, antigo ministro das Finanças e ex-presidente do Pasok (socialistas, agora na oposição), diz que a Grécia "evitou por um triz a queda da democracia e da liberdade".


Também o porta-voz do Nova Democracia Giorgos Koumoutsakos considera que as revelações de Galbraith tornam ainda mais urgentes que "se faça luz sobre um período negro da nossa história". "Andaram a brincar com o futuro do país e do povo grego", afirmou, citado pelo Kathimerini.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI