Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Indústria da Zona Euro abranda em Agosto

As economias italiana e francesa desiludiram em Agosto, mas a Alemanha continuou a destacar-se pela positiva. O próximo mês poderá continuar a reflectir as consequências do Brexit na moeda única e no número de encomendas para o Reino Unido.

Miguel Baltazar
Paulo Zacarias Gomes paulozgomes@negocios.pt 01 de Setembro de 2016 às 09:52
  • Assine já 1€/1 mês
  • 1
  • ...

A actividade manufactureira da zona euro abrandou em Agosto, com o índice do sector a cair para mínimos de três meses, penalizado sobretudo pelo desempenho das economias francesa e italiana.

Segundo o índice IHS Markit, a actividade passou no mês passado para 51.7, de 52 registados em Julho. O valor, que ainda assim se mantém em terreno de expansão – acima de 50 -, foi revisto em baixa, já que a leitura inicial tinha sido de 51.8.

Segundo a Markit, as taxas de crescimento da produção, das novas encomendas e das exportações reduziram-se, resultando numa criação de emprego mais fraca.

"Os fabricantes da Zona Euro deram conta de um desempenho vacilante em Agosto, o que faz prever que o crescimento abrande ainda mais nos próximos meses", refere Chris Williamson, o economista-chefe da IHS Markit.

Um possível abrandamento que poderá ser reacção ao impacto do Brexit, com o reforço do euro e a queda das vendas para o Reino Unido a justificarem, em parte, a redução de encomendas da indústria dos 19 e o crescimento do emprego no sector manufactureiro, em mínimos de cinco meses.

Em França o índice de gestores de compras piorou, mantendo-se em terreno de contracção – de 48.6 em Julho para 48.3 em Agosto, abaixo dos 48.5 aguardados pelos analistas sondados pela Bloomberg.

Já a actividade em Itália caiu para mínimos de 20 meses (49.8, passando para terreno de contracção pela primeira vez em ano e meio). Em Julho a actividade estava em crescimento, em 51.2. Para Claus Vistesen, da Pantheon Macroeconomics, os números aumentam o risco de uma contracção do PIB italiano em cadeia no terceiro trimestre.

A destoar esteve a manufactura alemã, que manteve o perfil de crescimento, embora com um ligeiro abrandamento. Em Agosto, o índice de gestores de compras ficou em 53.6, comparado com os 53.8 em Julho. Os últimos três meses deste indicador trouxeram as melhores leituras do último ano para a economia alemã.

Ver comentários
Saber mais Zona Euro Reino Unido França Itália economia negócios e finanças macroeconomia conjuntura economia (geral)
Mais lidas
Outras Notícias