Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Kampeter diz no Bundestag que "Portugal está no caminho certo para a recuperação"

O governo de Angela Merkel está no parlamento alemão a tentar convencer os deputados a votarem favoravelmente a extensão da assistência à Grécia, mas também o reembolso antecipado de Portugal ao FMI. Número dois das Finanças elogiou o percurso do país.

Negócios 26 de Fevereiro de 2015 às 16:47
  • Partilhar artigo
  • 6
  • ...

Steffen Kampeter, secretário de Estado alemão das Finanças, elogiou esta quinta-feira o percurso da economia portuguesa, argumentando que o país "está no caminho certo para a recuperação". O responsável falava no parlamento alemão onde membros do governo de Angela Merkel, designadamente o ministro das Finanças Wolfgang Schäuble, estão a tentar convencer os deputados a votarem favoravelmente a extensão da assistência financeira à Grécia, mas também o pedido do Governo português de reembolsar mais cedo os empréstimos concedidos pelo FMI, que são mais caros do que os garantidos pelos países europeus.

 

Citado pela Bloomberg, Steffen Kampeter referiu que o desemprego está a desacelerar, que o ritmo de crescimento da economia portuguesa é agora mais forte do que a média da Zona Euro, que a competitividade da economia, medida pela evolução dos custos de trabalho, está a melhorar, e que a confiança dos investidores regressou.

 

O parlamento alemão, e outros, têm de aprovar esse reembolso antecipado porque isso significa que os credores europeus passam a assumir maior risco em caso de incumprimento.

 

Recorde-se que Portugal quer pagar antecipadamente ao FMI, no período de 2015 a 2017, cerca de 14 mil milhões de euros, do total de 26 mil milhões (28,5 milhões à cotação actual) emprestados pelo Fundo no âmbito dos empréstimos acordados ao abrigo do programa de resgate da troika. Ficará assim com metade do empréstimo pago no período de dois anos e meio.

 

"O reembolso antecipado irá resultar em poupanças líquidas de pagamentos de juros na ordem dos 500 milhões de euros e terá um impacto positivo na sustentabilidade da dívida portuguesa", referiu no passado dia 13 de Fevereiro o vice-presidente da Comissão Europeia responsável pelo Euro, Valdis Dombrovskis.

 

Posteriormente, no dia 16, os ministros das Finanças da Zona Euro (Eurogrupo) aprovaram a intenção do Governo português de antecipar esse pagamento.

 

No relatório divulgado na passada sexta-feira pela Moody’s, a agência apresenta as mesmas contas que a Comissão Europeia: "Estimamos que a substituição dos empréstimos do FMI pelo financiamento nos mercados, que é mais barato, resultará numa poupança agregada de juros em torno de 500 milhões de euros (0,3% do PIB previsto para 2014)".

Ver comentários
Saber mais Steffen Kampeter Finanças Angela Merkel Wolfgang Schäuble Governo Zona Euro vice-presidente da Comissão Europeia reembolso empréstimos
Outras Notícias