Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Ministro francês fala na necessidade de evitar uma reedição de Versalhes na Grécia

O ministro da Economia francês diz que é preciso evitar que se reproduza uma espécie de Tratado de Versalhes com a Grécia e acrescenta que "seria um erro histórico esmagar a população grega" se o "não" vencer o referendo deste domingo.

Bloomberg
David Santiago dsantiago@negocios.pt 05 de Julho de 2015 às 15:44
  • Assine já 1€/1 mês
  • 5
  • ...

O ministro da Economia da França, Emmanuel Macron, garante ser crucial que os governos europeus não encetem uma espécie de vingança contra a Grécia no caso de o "não" sair vencedor do referendo que decorre este domingo.

 

Na perspectiva de Macron, deve "evitar-se uma reedição do Tratado de Versalhes" – tratado de paz assinado em 1919 que determinou o final oficial da Primeira Guerra Mundial – pelo que o governante gaulês aconselha a que, independentemente do resultado, "as conversações sejam retomadas" já amanhã, 6 de Julho.

 

O político francês sublinha que a crise grega refere-se a "uma questão política" para a qual deve ser encontrada uma resposta. "A Europa já não tem ambição? Ou é somente uma construção técnica", questionou prontificando-se a dar uma resposta em tom crítico.

 

Reforçando a ideia de que "seria um erro histórico esmagar a população grega" no caso de o "não" ao acordo proposto pelos credores vencer o referendo deste domingo, Emmanuel Macron garante que é fundamental que Bruxelas e Atenas cheguem a um acordo que abranja as reformas a introduzir na Grécia e a necessidade de alívio da dívida helénica.

 

Assegurando que aconteça o que acontecer, a chanceler alemã, Angela Merkel, e o presidente francês, François Hollande, irão dialogar várias vezes ao longo deste domingo, Macron deixou ainda críticas à forma como foi enquadrado o referendo convocado pelo governo grego.

 

"Quando se coloca uma questão à população, é preciso fazer a pergunta correcta. O que está a ser perguntado é uma questão que não está baseada num acordo final", aponta Macron. Por fim, o ministro gaulês expressa ainda a convicção de que é crucial "estar à altura da ocasião", notando que "falamos aos gregos em responsabilidade, mas todos nós temos responsabilidade". 

Ver comentários
Saber mais Emmanuel Macron Grécia Tratado de Versalhes Angela Merkel François Hollande referendo
Outras Notícias