Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Minuto-a-minuto: Grécia apresenta segunda-feira lista de medidas para ter mais quatro meses de empréstimo

Os ministros das Finanças da Zona Euro chegaram a acordo, dando à Grécia mais quatro meses. Haverá condições, cuja lista será conhecida na próxima segunda-feira. Acompanhe aqui todos os desenvolvimentos sobre este encontro.

Reuters
  • Partilhar artigo
  • 46
  • ...

20h42 - "Esta não é uma altura para celebrar. O acordo é um pequeno passo. Os grandes esforços começam com um pequeno passo", afirmou Yanis Varoufakis.

 

20h38 - Varoufakis dá início à conferência de imprensa. E anuncia: "vou fazer a intervenção inicial em grego". Só depois falará em inglês.

 

20h26 - "Devemos usar estes quatro meses para discutirmos o futuro", realçou Dijsselbloem.

 

20h12 - Regling sublinha o "acordo encorajador".

 

20h09 - Lagarde, salienta o acordo "profundo e denso" que foi alcançado. "O trabalho pode começar", diz Lagarde.

 

20h05 - Moscovici, comissário europeu, segue-se a Dijsselbloem na conferência de imprensa. "Sabíamos que ia ser muito difícil", afirmou.

 

19h55 - Presidente do Eurogrupo dá início à conferência de imprensa, confirmando o acordo. Grécia terá mais quatro meses. A Grécia deu garantias de compromisso, adianta. "Esta noite foi o primeiro passo para construir a confiança. O trabalho feito nas últimas semanas compensou", realçou.

 

Autoridades acordaram apresentar uma primeira lista de medidas de reforma na segunda-feira.

 

19h41 - É oficial. Eurogrupo e Grécia chegam a acordo para uma extensão do empréstimo por quatro meses. Atenas tem agora de entregar uma lista com as reformas que terá de fazer na segunda-feira. A confirmação chegou de Bruxelas pelo ministro das Finanças austríaco.

 

19h30 - Portugal e Espanha mostraram fortes objecções e tentaram bloquear um acordo entre os parceiros europeus e a Grécia no Eurogrupo, está a avançar a televisão grega Skai TV.

 

19h12 - Fumo branco no Eurogrupo? Conferência de imprensa marcada para as 20 horas.

 

18h48 - Sinais optimistas de Bruxelas. O comissário europeu para o euro indica que as negociações poderão chegar hoje a bom porto. "Estamos a fazer progressos", tuitou Pierre Moscovici.

 

18h41 - A fuga de depósitos na Grécia continua. Foram hoje levantados mil milhões de euros dos bancos gregos, segundo a Mega TV que cita fontes do banco central grego. A instituição vai pedir mais dinheiro ao BCE na próxima semana por a liquidez na banca helénica estar a escassear.

 

18h30 - Estação de televisão grega Mega TV avança que o acordo inclui uma extensão do programa por quatro meses. O programa que estará a ser elaborado não inclui mais medidas de austeridade.

 

18h14 - Jeroen Dijsselbloem está neste momento a apresentar a proposta para a Grécia aos parceiros europeus. Os detalhes do acordo, um documento de duas páginas, poderão ser acertados nos próximos dias.

 

18h05 - Líder do BCE desempenhou um papel crucial para um acordo de princípio. Mario Draghi alertou o Eurogrupo que os bancos gregos estão à beira de entrar em colapso, segundo fontes gregas citadas pela AFP.

 

17h47 - Duas horas depois do inicialmente previsto, começa a reunião do Eurogrupo em Bruxelas. Segundo a Reuters, os ministros das Finanças do euro já chegaram a princípio de acordo para alargar a linha de financiamento para a Grécia, segundo um diplomata grego. É de sublinhar, contundo, que este acordo não está fechado ainda e vai ser debatido agora pelos 19 ministros do euro.

 

17h35 - Alexis Tsipras telefonou para o líder da União Europeia, Donald Tusk, a pedir a realização de uma cimeira de líderes europeus no Domingo se não alcançado um acordo hoje.

 

17h23 - O tablóide alemão Bild está a avançar que o Governo grego enviou para Bruxelas, acidentalmente, a carta errada na quinta-feira. A estória começa quando, na quarta-feira, Alexis Tsipras em conjunto com Jean-Claude Juncker e Jeroen Dijsselbloem prepararam uma carta de forma a garantir o apoio dos parceiros europeus à Grécia.

 

Mas, na quinta-feira, Yanis Varoufakis terá enviado uma versão alterada da carta para Bruxelas. Esta carta, contra o que estava acordado, omitia garantias de que a Grécia iria aceitar as condições de resgate acordadas com os anteriores governos gregos. Mais tarde, Tsipras garantiu a Merkel e ao Dijsselbloem que o envio desta carta foi um "erro administrativo".

 

Mas Yanis Varoufakis já desmentiu esta notícia: "Devemos acreditar na estórias elaboradas do Bild, sobre nós gregos, por nossa própria conta e risco", escreveu o ministro nas redes sociais.

 

15h55 - Luis de Guindos, ministro espanhol, diz estar optimista e afasta a eventual saída da Grécia da Zona Euro. "Estou sempre optimista. Temos uma carta que é um passo na direcção certa, mas pode ser aperfeiçoada. A partir daí espero que possamos chegar a acordo". "Esta não é uma questão de esticar a corda ou não. É uma questão de tempo, o tempo para a Grécia expira dentro de uns dias. A questão da liquidez da Grécia não é fácil."

 

Sobre a saída da Grécia? "Não está em cima da mesa. Estamos todos absolutamente convencidos da irreversibilidade de uma adesão ao euro". Guindos diz que o que está em cima da mesa é mesmo uma extensão do actual programa – ao contrário do que pretende a Grécia. "É uma extensão global do programa, dos compromissos, como sempre aconteceu nos últimos anos".

 

15h45 - O presidente do Eurogrupo admite atrasos no início da reunião de ministros. O Eurogrupo vai começar "assim que for possível", acrescentou.

 

15h40 - Pierre Moscovici, comissário do euro, acredita num acordo e salienta os progressos já alcançados.

 

"Estamos a trabalhar de forma intensa. Estou convencido que um acordo é possível. Queremos a Grécia na Zona Euro", salientou à entrada para o Eurogrupo. "Dentro de uma semana termina o prazo para a Grécia. É imperativo encontrar uma solução." "Um acordo é possível, já registámos um bom progresso", sublinhou. "O presidente do Eurogrupo está a trabalhar de forma dura desde segunda-feira para um acordo. Agora temos de avançar para um acordo entre a Grécia e Zona Euro e o FMI. Mas é importante que a Grécia cumpra os seus compromissos."

 

15h35 - Michael Noonan, ministro das Finanças da Irlanda, revela algum cepticismo em relação à reunião de hoje. "Existem algumas contradições entre o que se está a dizer em Atenas e o que está na carta. É difícil de prever qual vai ser o desfecho" do Eurogrupo."A carta não é muito clara", acrescenta. 

 

15h33 - Schäuble e o Varoufakis estão em salas separadas com a Lagarde, Moscovici e o Dijsselbloem num vaivém entre as duas salas a mediar as negociações, de acordo com relatos de fontes citadas pela AFP. 

 

15h20 -  Dijsselbloem diz que as negociações estão "complicadas".

 

"Está a ser um pouco complicado. Tenho estado a falar com os principais responsáveis para tentar encontrar soluções. Vai demorar algum tempo, mas continua a haver razão para algum optimismo. Mas está muito difícil", afirmou o presidente do Eurogrupo, citado pela Bloomberg

 

15h04 Johan Van Overtveldt, ministro das Finanças da Bélgica, afirmou que a carta grega mostra "boas intenções" por parte de Atenas, mas dá muito espaço a diferentes interpretações. "São necessárias explicações", defendeu.

 

Johan Van Overtveldt indicou que a extensão [dos empréstimos europeus] pedida ontem pela Grécia não está de acordo com o que foi acordado no Eurogrupo na segunda-feira. "Os parceiros europeus também vão querer clarificar esta situação", acrescentou.

 

14h55 Johann Georg Schelling, ministro das Finanças da Áustria, à entrada do encontro: "Estou sempre optimista. Aprendi na última semana que às vezes temos bons resultados, temos acordos, mas não é possível fazer comunicados [conjuntos]. Hoje deve ser possível  alcançar uma solução para a Grécia".

 

"Sempre dissemos à Grécia que há condições e podemos discuti-las. Temos que deixar claro: temos uma carta e esta carta tem muitas frases dadas a diferentes interpretações. Agora temos de trabalhar para que não haja diferentes interpretações".

 

14h38 Jean-Claude Juncker à entrada do Eurogrupo: "Eu vejo a Grécia como um membro permanente da família do euro. Não vai haver uma saída grega". 

 

14h10 Wolfgang Schäuble chega à reunião do Eurogrupo. "O que está em questão é a capacidade de confiarmos uns nos outros e reforçarmos, em todos os países europeus, a confiança no futuro deste projecto europeu de unificação. Essa é a tarefa actual e é nisso que temos vindo a trabalhar com toda a força." "Tudo o que precisava de ser dito, já foi dito", afirmou o ministro das Finanças da Alemanha. 

 

14h07 Pier Carlo Padoan, ministro das Finanças de Itália, já chegou à reunião mas não prestou declarações aos jornalistas.

 

14h06 Michel Sapin, ministro das Finanças de França, afirmou à entrada que vão todos trabalhar para encontrarem uma solução conjunta.

 

14h09 Yanis Varoufakis já chegou ao Eurogrupo. Numas breves declarações aos jornalistas, o ministro das Finanças grego mostrou-se confiante num acordo. "Espero que haja um acordo, confio que haja um acordo. O governo grego já fez as 10 milhas extras, espero agora que os nossos parceiros venham ao nosso encontro", afirmou Yanis Varoufakis. "Espero que a discussão seja frutuosa e que haja fumo branco no final", acrescentou.

 

14h08 "Tem de começar uma fase de trabalho intensivo" no encontro dos ministros das Finanças de hoje, disse Angela Merkel, na conferência com François Hollande, em Paris. A chanceler alemã reitera que a Alemanha e a Europa querem manter a Grécia na Zona Euro. "Isto tem a ver com um prolongamento do programa e o que isso significa, em substância", referiu Merkel. "Temos de ser capazes de dizer às pessoas de outros países o que isso significa".   

 

14h00 "Há um quadro no seio do qual nós estamos preparados para discutir com o Governo grego. Este quadro é o do programa de ajuda actual, que deve ser prolongado", afirmou Maria Luís Albuquerque, em entrevista ao diário alemão Handelsblatt, citada pela Lusa. "Por oposição, não estamos preparados para discutir outras condições. Os 18 Estados da Zona Euro, bem como o Banco Central Europeu e o Fundo Monetário Internacional estão de acordo neste ponto", adiantou ainda a ministra de Estado e das Finanças. Para a governante, autorizar os empréstimos sem contrapartidas "não é possível para ninguém no mundo, o que acontece seja para Portugal ou para a Grécia."

 

13h47 O presidente francês, François Hollande, defende que a Grécia deve permanecer na Zona Euro e garante não ter conhecimento de nenhum cenário que considere essa possibilidade. "Não tenho conhecimento de nenhum cenário de saída da Grécia da Zona Euro", assegurou o chefe de Estado francês, numa conferência de imprensa com a chanceler alemã, Angela Merkel, em Paris. 

 

13h10 A Comissão Europeia acredita que é possível que o Eurogrupo chegue a um acordo sobre a Grécia "num futuro previsível", se todas as partes forem razoáveis, afirmou o porta-voz do executivo comunitário, Margiritis Schinas.

 

Não tenho conhecimento de nenhum cenário de saída da Grécia da Zona Euro.
 
François Hollande

"Estamos confiantes de que é possível chegar a um acordo num futuro previsível, se todos forem razoáveis, mas ainda não chegámos a esse ponto", disse, na conferência de imprensa diária da Comissão Europeia.

 

13h08 O ministro das Finanças de Malta afirmou que vários países do euro, incluindo a Alemanha, estão dispostos a deixar sair a Grécia da moeda única. "Penso que chegámos a um ponto onde eles vão dizer à Grécia 'se querem realmente sair, saiam'", disse Edward Scicluna em entrevista ao jornal Malta Today.

 

"E penso que eles vão levar isto a sério, porque a Alemanha, Holanda e outros vão ser duros e vão insistir que a Grécia pague de volta a solidariedade demonstrada pelos Estados-membros ao respeitar as condições", afirmou.

 

13h03 O Governo grego está confiante num desfecho positivo para a reunião do Eurogrupo. "Estou certo de que a carta grega para uma extensão dos empréstimos vai ser aceite", disse Alexis Tsipras à Reuters. O primeiro-ministro helénico sublinhou que a "a Grécia fez todos os possíveis para que possamos chegar a uma solução mutuamente benéfica", tendo em conta o repeito pelo "princípio das regras da União Europeia e pelos resultados eleitorais dos Estados-membros". Alexis Tsipras considera que "este é o momento para uma decisão política histórica para o futuro da Europa".

 

12h40 O jornal grego To Vima escreve que o adiamento da reunião dos ministros das Finanças da Zona Euro foi adiado para as 15h30 (16h30 em Bruxelas) se deveu a um encontro quadripartido entre o ministro grego, Yanis Varoufakis, o homólogo alemão, Wolfgang Schäuble, a directora-geral do Fundo Monetário Internacional, Christine Lagarde, e o presidente do Eurogrupo, Jeroem Dijsselbloem. 

 

12h38 Pedro Passos Coelho durante o debate quinzenal desta sexta-feira: "No dia em que a Grécia demonstrar que, sem o dinheiro dos outros, consegue pôr o país a crescer", o Governo português estará de acordo. "Agora com o dinheiro dos outros, isso também eu faço, é tudo mais simples".

 

12h34 De acordo com a revista alemã Der Spiegel, o Banco Central Europeu (BCE) está a estudar cenários de contingência para uma saída da Grécia da união monetária, e a forma como a Zona Euro poderá funcionar, como um conjunto, depois de a perda de um membro. Segundo o The Guardian, o banco central recusou comentar esta informação. 

 

12h33 Jereon Dijsselbloem anunicou no Twitter que o início da reunião do Eurogrupo foi adiada das 15h30 para as 16h30 (15h30, hora de Lisboa). O presidente do Eurogrupo fará uma breve declaração antes do encontro, por volta das 15h00 (14h00).

 

12h04 Gavriil Sakelaridis, porta-voz do Governo grego, tem "esperança" de que haverá um acordo no Eurogrupo desta sexta-feira mas reconheceu que na reunião preparatória de quinta-feira houve "acordos e desacordos". "Temos a esperança de que hoje haverá acordo, mas não podemos estar seguros", disse Sakelaridis em declarações à cadeia de televisão privada grega Antena1.

 

O porta-voz sublinhou que o Governo manteve um intenso diálogo e tem estado a "lutar duramente" para alcançar uma solução com benefícios mútuos. Ao mesmo tempo, indicou que a Grécia não deu qualquer volta à postura inicial e defendeu que, se assim tivesse sido, um acordo teria sido "assinado há 10 dias". "Não demos qualquer passo atrás nas nossas linhas vermelhas", garantiu Gavriil Sakelaridis

 

11h20 Não há diferença de opiniões entre Merkel e Schäuble em relação à proposta apresentada pela Grécia na quinta-feira, afirmou a porta-voz do governo alemão, Christiane Wirtz, citada pela Bloomberg. Wirtz acrescenta que a chanceler alemã vê a proposta grega como uma base para negociações adicionais, e que tem total confiança no seu ministro das Finanças, Wolfgang Schäuble.  

 

10h54 Reacções internas. "Esperamos que no Eurogrupo desta sexta-feira, a confusão e a incerteza terminem e que cheguem a um acordo", afirmou o porta-voz do partido conservador grego Nova Democracia, que acusou o actual Governo de Alexis Tsipras de "brincar com as palavras" para disfarçar o facto de estar a pedir um prolongamento do mesmo programa implementado pelo anterior Executivo.

 

Já o líder do partido socialista Pasok, Evangelos Venizelos [que deverá abandonar o cargo em Maio] acusou o Governo de Alexis Tsipras de "perder tempo valioso em supostas duras negociações". "Após perder tempo em supostas duras negociações para consumo interno, o Governo aceitou a verdade e está a pedir uma extensão dos empréstimos europeus, que é acompanhada por um memorando e um programa", afirmou Evangelos Venizelos em declarações citada pelo jornal grego Kathimerini. 

 

10h35 Um membro do governo grego disse à Reuters que a Grécia e os parceiros da Zona Euro estão próximos de chegar a um acordo, antes da reunião desta tarde, em Bruxelas. O responsável, que pediu para não ser identificado, acrescentou que Atenas já fez muitas concessões e que a Zona Euro também deve ser flexível. "Nós cobrimos quatro quintos da distância. Eles precisam agora de considerar um quinto", sublinhou. 

 

10h00 O principal índice da praça grega soma mais de 1% impulsionado pelo sector bancário. O National Bank of Greece sobe 3,70%. O Piraeus Bank soma 1,90%. O Eurobank Ergasias aprecia 4,37%. E o Alpha Bank sobe 5,75%.

 

Os juros da dívida pública mantém a tendência de alívio e a dez anos continuam abaixo dos 10%, tal como aconteceu na sessão de ontem.  

 

09h23 A Grécia vai pedir a convocação de uma cimeira europeia se o Eurogrupo não chegar a um entendimento na reunião desta sexta-feira, anunciou um responsável do Syriza em declarações à agência noticiosa alemã "dpa". "Se o Eurogrupo não encontrar uma solução, pediremos imediatamente que seja convocada uma cimeira europeia", avançou o responsável, que pediu para não ser identificado.

 

09h15 "Ontem à noite surgiu um rasgo de esperança de que será possível alcançar um acordo para que a Grécia continue o programa para reforçar a sua economia", afirmou o ministro das Finanças da Finlândia, Antti Rinne, em declarações ao jornal Helsingin Sanomat.

 

09h12 "Desde que o actual programa seja implementado, o Eurogrupo está pronto para discutir o conteúdo do acordo apresentado ontem pela Grécia e de forma é que ele poderá ficar alinhado com as necessidades do país". "Estamos a trabalhar para que a Grécia fique na Zona Euro. Penso que um acordo será nos próximos oito dias – se necessário numa nova reunião dos líderes da Zona Euro", disse o Comissário Europeu, Guenther Oettinger.

 

09h11 Alexis Tsipras falou esta quinta-feira à noite com Angela Merkel e François Hollande. Na sua conta do Twitter, o primeiro-ministro grego revela que o presidente francês quer encontrar uma solução mutuamente benéfica.

 

Sobre a conversa com Angela Merkel, Tsipras revela que o "tom foi positivo" e que existe vontade de encontrar uma solução mutuamente benéfica.

 

Esta quinta-feira, o Executivo grego afirmou que "só existem duas opções no Eurogrupo: aceitar ou rejeitar o pedido grego". "Vamos agora descobrir quem quer encontrar uma solução e quem é que não quer", disse fonte do Governo à agência France Presse.

 

Recorde aqui a carta que Yanis Varoufakis, ministro das Finanças da Grécia, enviou ontem ao presidente do Eurogrupo, onde expõe as propostas do Executivo grego para se chegar a um acordo que permita prolongar o prazo dos empréstimos.

Ver comentários
Saber mais Grécia Finlândia Eurogrupo Zona Euro Comissário Europeu Alexis Tsipras Angela Merkel François Hollande Grécia
Outras Notícias