Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Rajoy desafia Bruxelas com promessa de descida de impostos

No dia em que Espanha se senta "no banco dos réus", juntamente com Portugal, por causa dos deslizes orçamentais de 2015, o líder do governo espanhol vem prometer nova descida de impostos se for eleito.

Fim do bipartidarismo em espanha: O PP de Mariano Rajoy venceu as eleições gerais em Espanha, mas ficou longe da maioria absoluta que lhe permitiu governar nos últimos anos. O escrutínio ficou marcado por uma derrota histórica do PSOE e pelo fim do bipartidarismo, com a subida de votação dos partidos Podemos e Cidadãos.
Negócios 18 de Maio de 2016 às 10:05
  • Assine já 1€/1 mês
  • 7
  • ...

Em plena campanha eleitoral para as próximas eleições em Junho, Mariano Rajoy promete descer impostos se voltar a ser eleito primeiro-ministro. A perspectiva poderá amealhar-lhe alguma popularidade internamente, mas arrisca a um choque com Bruxelas, que também esta quarta-feira analisa a eventual aplicação de sanções ao País por causa dos deslizes orçamentais de 2015.

Numa entrevista concedida ao Financial Times, Mariano Rajoy que em Dezembro falhou o apoio popular necessários para conseguir formar governo de forma autónoma, e volta a apresentar-se a escrutínio no próximo 26 de Junho, afirma que "subimos os impostos no início do nosso mandato, e em 2015 baixámos o imposto sobre o rendimento e o imposto sobre os lucros das sociedades. Se a receita fiscal continuar a aumentar, como tem acontecido até aqui, podemos planear outra descida".

E quando fala em outra descida, Rajoy tem em mente esses mesmos tributos, o equivalente ao IRS e ao IRC portugueses.

 

Espanha enfrenta esta quarta-feira, juntamente com Portugal, as conclusões da Comissão Europeia sobre os deslizes nas suas contas públicas: o país não só fechou 2015 com um défice orçamental de 5,16% do PIB, como planeia, em 2016, ficar-se pelos 3,9% do PIB, acima da linha vermelha dos 3% definida pelo Pacto de Estabilidade.

 

Para Rajoy, descer impostos e manter firmes os compromissos com Bruxelas é compatível. "Baixámos o défice em 4,3 pontos percentuais em quatro anos, apesar de termos passado por dois anos de recessão. Ninguém pode dizer que Espanha não está disposta a cumprir com as regras do jogo e a fazer as coisas bem feitas, argumentou.

Ver comentários
Saber mais Espanha Pacto de Estabilidade sanções procedimento por défices excessivos impostos
Mais lidas
Outras Notícias