Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Varoufakis: Um acordo "vai ser difícil mas vai acontecer e rapidamente"

O ministro das Finanças da Grécia, após o encontro do Eurogrupo, defendeu que um acordo entre Atenas e as instituições credoras "vai ser difícil mas vai acontecer e rapidamente porque é a única opção que temos".

A carregar o vídeo ...
Greece’s Varoufakis Criticized by EU Finance Chiefs
Ana Laranjeiro alaranjeiro@negocios.pt 24 de Abril de 2015 às 13:59
  • Assine já 1€/1 mês
  • 20
  • ...

Yanis Varoufakis, ministro das Finanças da Grécia, em conferência de imprensa após o encontro do Eurogrupo, afirmou que "um acordo – como já foi demonstrado – vai ser difícil, mas vai acontecer e vai acontecer rapidamente porque é a única opção que temos". Porém, uns minutos antes, numa conferência de imprensa - em que estavam presentes também Mario Draghi, Klaus Regling e Pierre Moscovici -, Jeroen Dijsselbloem, presidente do Eurogrupo, assinalou que apesar dos "sinais positivos" que têm surgido, há "muitas diferenças que precisam de ser ultrapassadas, ao nível do conteúdo" para que as partes alcancem um acordo.

 

Também neste sentido vão as palavras de Luis de Guindos, ministro espanhol das Finanças, que destacou em declarações à Bloomberg que "há um certo sentimento de frustração sobre a forma como as negociações com a Grécia estão a decorrer". "Temos de tirar vantagens do tempo limitado que temos e todos queremos chegar a um acordo mas agora a bola está do lado do Governo grego", acrescentou.

 

Por outro lado, Varoufakis disse ainda que foi acordado uma aceleração "das negociações, que vão assumir outra forma no processo e no método negocial para que possa ser assegurada uma rápida resolução para todas as diferenças". As diferenças que estarão a colocar entraves a um acordo estarão relacionadas com cortes nas pensões, com as ajudas prestadas às famílias no âmbito da habitação e com os objectivos para o excedente orçamental primário.

 

As divergências em torno das ajudas às famílias com o crédito à habitação, podem estar relacionadas com o facto de o Syriza ter um projecto de lei que visa proibir despejos da primeira habitação. São elegíveis famílias cuja casa de primeira habitação esteja avaliada em até 300 mil euros e cujos rendimentos anuais não sejam superiores a 50 mil euros.

 

"Estas são as diferenças e são as razões pelas quais ainda não chegámos a um entendimento mas não devemos focar-nos nas diferenças; devemos focar-nos primeiramente no processo de convergência", salientou Varoufakis.

 

Varoufakis: a pessoa que faz perder tempo, um jogador e um amador

 

O ministro das Finanças da Grécia, Yanis Varoufakis, foi fortemente criticado no encontro do Eurogrupo desta sexta-feira, de acordo com os relatos da imprensa internacional. As críticas de que foi alvo serão o resultado da elevada frustração que os demais ministros das Finanças do euro sentem devido à recusa de Atenas em apresentar medidas que coloquem a economia helénica na trajectória do crescimento económico, segundo três fonte da Bloomberg.

 

Segundo esta agência, os líderes das Finanças dos 19 países do euro apontaram que Varoufakis lida com as negociações de forma irresponsável e acusaram-no de ser uma pessoa que faz perder tempo (time-waster em inglês), um jogador e um amador.

 

Ainda que na conferência de imprensa, que teve lugar depois do encontro, Jeroen Dijsselbloem, presidente do Eurogrupo, não tenha entrado em detalhes sobre o encontro, reconheceu que foi uma "discussão muito crítica".

Ver comentários
Saber mais Yanis Varoufakis Grécia Eurogrupo Mario Draghi Klaus Regling Pierre Moscovici Jeroen Dijsselbloem
Mais lidas
Outras Notícias