Finanças Públicas Banco estatal alemão disposto a conceder crédito e entrar em capital de empresas portuguesas

Banco estatal alemão disposto a conceder crédito e entrar em capital de empresas portuguesas

Vítor Gaspar e Wolfgang Schäuble prometem reforçar esforços para reanimar a economia e o emprego em Portugal.
A carregar o vídeo ...
Eva Gaspar 22 de maio de 2013 às 13:09

O KfW, banco estatal alemão de fomento, pondera conceder linhas de crédito em Portugal e dispõe-se a avaliar a possibilidade de assumir participações indirectas em pequenas e médias empresas portuguesas. O anúncio foi feito nesta quarta-feira, 22 de Maio, pelo ministro das Finanças Vítor Gaspar, após um encontro, em Berlim, com o seu homólogo Wolfgang Schäuble.

 

"Podemos beneficiar da colaboração alemã, em particular do banco de desenvolvimento alemão, que se chama KfW, que estará disponível para explorar a possibilidade de estender linhas de crédito a Portugal ou participar no capital das PME de formas intermediadas indiretamente por instituições portuguesas", afirmou o ministro português, citado pela Lusa.

 

Falando após o encontro de trabalho, os dois governantes convergiram na necessidade de passar a centrar os esforços no combate ao desemprego, designadamente através da dinamização das empresas que, em Portugal, têm estado muito condicionado pela escassez e, sobretudo, pelas comparativamente elevadas taxas de juro cobradas pela banca quando recorrem ao crédito.

 

O combate ao desemprego é uma “prioridade muito grande” para Portugal e toda a Europa, porque o “futuro de uma Europa competitiva a nível global depende da capacidade de mobilizar as novas gerações”, afirmou Gaspar.

 

“Temos de fortalecer a nossa cooperação para intensificar os esforços de combate ao desemprego, sobretudo entre os jovens” que é um problema “de toda a Europa”, afirmou, por seu turno, o ministro alemão, acrescentando que, sendo Portugal um “ caso de sucesso” no ajustamento que está a proceder, nunca será um caso de sucesso pleno se a estabilização financeira não se traduzir em recuperação da economia e do bem-estar social.

 

Aquando da visita oficial da chanceler Angela Merkel a Lisboa, em Novembro de 2012, havia ficado acordado que o KfW ajudaria Portugal a montar um banco de fomento idêntico para viabilizar projectos estruturantes. Criado no rescaldo da segunda guerra mundial no quadro do Plano Marshall, tendo tido um papel fundamental aquando da reunificação da Alemanha, este banco público alemão dispõe-se agora a um envolvimento mais directo no financiamento ao tecido empresarial português.

 

O comunicado conjunto refere que foram discutidas neste encontro formas de a "Alemanha prestar apoio a Portugal, em particular no que diz respeito às necessidades de financiamento e de capital de PME portuguesas de elevado potencial".  O comunicado acrescenta que os ministros concordaram em cooperar “estreitamente nos preparativos técnicos assim como no apoio financeiro em conjunto com o banco alemão de desenvolvimento KfW” que continuará a apoiar a criação de um banco congénere em Portugal.

 

(notícia actualizada às 13h55)




Saber mais e Alertas
pub

Marketing Automation certified by E-GOI