Finanças Públicas Bancos espanhóis mais otimistas com a economia portuguesa

Bancos espanhóis mais otimistas com a economia portuguesa

Nas vésperas da apresentação do Orçamento do Estado para 2020, CaixaBank e BBVA alinharam as suas estimativas de crescimento do PIB em 2019 com o Governo. Mas continuam menos otimistas para o próximo ano, mantendo a previsão de abrandamento da economia.
Bancos espanhóis mais otimistas com a economia portuguesa
Miguel Baltazar
Susana Paula 12 de dezembro de 2019 às 11:34
Os bancos espanhóis CaixaBank e BBVA mostram-se mais otimistas para a economia portuguesa. Estimam agora que o PIB cresça 1,9% este ano, acima do que antecipavam anteriormente. Mas continuam a antecipar um abrandamento em 2020. 

O CaixaBank e o BBVA divulgaram nesta quinta-feira, 12 de dezembro, novas estimativas para a economia portuguesa. Ambos esperam agora que o PIB cresça 1,9% em 2019. Esta revisão fica 0,1 pontos acima do que antecipava o CaixaBank e 0,2 pontos percentuais acima do esperado anteriormente pelo BBVA. 

No entanto, e a poucos dias da entrega da proposta de Orçamento do Estado para 2020 no parlamento, os dois bancos espanhóis mantêm a estimativa de abrandamento económico, já que preveem que a economia cresça 1,7% no próximo ano. 

Os dois bancos alinham assim a sua estimativa de crescimento económico com o Governo, que no esboço orçamental que enviou a Bruxelas, prevê que o PIB tenha subido 1,9% no conjunto deste ano. Mas continuam menos otimistas do que o executivo de António Costa, que está a preparar o Orçamento do Estado de 2020 assumindo um crescimento económico de 2% no próximo ano

Para o CaixaBank, que em Portugal controla o BPI, a economia portuguesa cresceu "com solidez" no terceiro trimestre e manteve-se "resiliente". No que diz respeito ao quarto trimestre, o banco espanhol diz que os indicadores disponíveis apontam que a economia se mantenha assim. Em concreto, lembram o indicador do clima económico que cresceu 2,1% em outubro e a estabilidade dos indicadores coincidentes: 2% na atividade agregada e 2,5% no consumo privado. "Tudo isto nos leva a esperar um crescimento do PIB de 1,9% no conjunto de 2019 e de 1,7% em 2020".

Já o BBVA afirma que os indicadores para o quarto trimestre sugerem que "o aumento da atividade continua em níveis moderados" e que é provável que o crescimento em cadeia se mantenha no mesmo ritmo verificado no trimestre anterior (0,3%), "sobretudo sustentado pela procura interna". Para 2020, esse será também o motor de crescimento, admite o Caixa Bank.

"Os dados anteriores pressupõem que a recuperação em Portugal se mantém, embora a um ritmo inferior, num contexto de maior incerteza e deterioração das perspetivas da economia global, particularmente na Europa", afirma o banco.



pub

Marketing Automation certified by E-GOI