Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Bloco de Esquerda: "Sacrifícios atrás de sacrifícios" impostos pelo Governo resultam "numa mão cheia de nada"

O BE afirmou hoje que os dados da execução orçamental revelam uma "derrapagem monumental na receita fiscal" e provam que o Governo segue "um caminho de sacrifícios em cima de sacrifícios" que resultam "numa mão cheia de nada".

Negócios negocios@negocios.pt 23 de Julho de 2012 às 19:50
  • Partilhar artigo
  • 1
  • ...
"Os números hoje divulgados, que dão conta do primeiro semestre do primeiro Orçamento de Pedro Passos Coelho, de Paulo Portas e Vítor Gaspar, mostram a confirmação da derrapagem da receita fiscal, esta é uma derrapagem que diz que a economia está parada e só isso justifica os onze mil desempregados que crescem a cada mês que passa", afirmou aos jornalistas no Parlamento o deputado bloquista Pedro Filipe Soares.

Os dados da execução orçamental, considerou o deputado do BE, "mostram que a austeridade está a minar a própria sustentabilidade das contas públicas, porque na prática até os cortes nas despesas são feitos no que é essencial às pessoas, que são os seus subsídios, os seus salários".

"Quando se corta no que é essencial às pessoas, naquilo que lhes dando rendimento faz crescer a economia, está explicada esta derrapagem monumental na receita fiscal que se se confirmar ao longo do ano levará a um buraco de dois mil milhões de euros", antecipou.

No entendimento de Pedro Filipe Soares, o Governo segue "por isso uma receita errada e um caminho que traz sacríficos em cima de sacrifícios e que não traz qualquer resultado positivo para as contas públicas, bem pelo contrário".

"O IVA, depois de todos os aumentos, continua a ter menos receita do que no ano passado, o IRC caiu 16 por cento, e por isso de todos os esforços pedidos aos portugueses, mais impostos, mais taxas, mais preços nos transportes, mais custos no que é essencial na vida de cada um e de cada uma, na prática o que o Governo diz depois é que tem uma mão cheia de nada e uma execução orçamental pior a cada mês que passa", rematou.

A receita do IVA e de outros impostos sobre o consumo no primeiro semestre do ano foi 5,2 por cento inferior à do mesmo período de 2011, segundo dados hoje divulgados pela Direcção Geral do Orçamento (DGO).

Por outro lado, as contribuições para a Segurança Social reduziram-se 3,7 por cento nos primeiros seis meses deste ano.

Esta redução significa menos 244 milhões de euros em receitas para a Segurança Social, por comparação com o primeiro semestre do ano passado.

Já o défice orçamental das Administrações Públicas no primeiro semestre do ano, do modo como é calculado pela ´troika', foi de 4.137,8 milhões de euros em contabilidade pública, cumprindo assim o objectivo do memorando.

Ver comentários
Saber mais Bloco de Esquerda execução orçamental
Outras Notícias