Finanças Públicas Carga fiscal em Portugal com quarta maior subida da Zona Euro mas continua abaixo da média  

Carga fiscal em Portugal com quarta maior subida da Zona Euro mas continua abaixo da média  

Nos países que partilham a moeda única, a carga fiscal subiu duas décimas para 41,7%. Em Portugal agravou-se em sete décimas para um nível recorde.
Carga fiscal em Portugal com quarta maior subida da Zona Euro mas continua abaixo da média    
Lusa
Nuno Carregueiro 30 de outubro de 2019 às 11:30

O peso dos impostos e contribuições sociais no produto interno bruto (PIB) de Portugal agravou-se em 0,7 pontos percentuais no ano passado.

 

Segundo o Eurostat, a carga fiscal passou de 36,5% em 2017 para 37,2% no ano passado. Trata-se da primeira subida em três anos, depois das descidas em 2016 e 2017 face aos 37% de 2015. A carga fiscal de 2018 é a mais elevada desde que Eurostat reporta estes dados (1995). O anterior recorde tinha sido fixado em 2013 nos 37,1%.



 

Estes valores diferem dos reportados em setembro pelo INE, que coloca o peso dos impostos e contribuições sociais em 34,9% do PIB, o que representa a carga fiscal mais elevada de sempre em Portugal. A discrepância está relacionada com metodologias diferentes nos cálculos do indicador. Para apurar a carga fiscal o Eurostat inclui as contribuições sociais imputadas, que não são tidas em conta pelo INE. Daí o valor mais reduzido apurado pelo instituto português.

 

O gabinete de estatística da União Europeia, de acordo com um relatório publicado esta quarta-feira, coloca o peso das receitas fiscais e contribuições para a Segurança Social em Portugal a agravar-se 0,7 pontos percentuais, mas ainda assim abaixo da média da Zona Euro.

 

Nos países que partilham a moeda única, a carga fiscal subiu duas décimas para 41,7%. Na UE o aumento foi de uma décima para 40,3%. 16 países da UE agravaram a carga fiscal e apenas sete baixaram o peso dos impostos e contribuições sociais no PIB.

Apesar de continuar abaixo da média da Zona Euro, Portugal foi um dos países da Zona Euro onde a carga fiscal registou um agravamento mais pronunciado. Apenas no Luxemburgo, Espanha e Lituânia o aumento foi superior. Já tendo em conta todos os 29 países da UE, Portugal foi o oitavo país com o aumento mais acentuado.

 

Comparando a carga fiscal entre todos os países da Zona Euro, Portugal surge na parte inferior da tabela. Em 2018 a diferença estava em 4,5 pontos percentuais, menos do que os 6,5 pontos percentuais registados em 2015, mas melhor do que os 4,3 pontos percentuais em 2015.     

 

 

 

A França permanece com o estatuto de país da UE com a carga fiscal mais elevada, enquanto a Irlanda surge no topo oposto. 




Saber mais e Alertas
pub

Marketing Automation certified by E-GOI