Finanças Públicas Contas públicas no verde, mas dívida no vermelho. O futuro de Portugal e da Zona Euro

Contas públicas no verde, mas dívida no vermelho. O futuro de Portugal e da Zona Euro

As contas públicas serão melhores do que a média da Zona Euro, mas a dívida pública continuará a ser a terceira maior. O investimento público mantém-se na cauda da Europa, mas o crescimento do PIB será acima da média.
Contas públicas no verde, mas dívida no vermelho. O futuro de Portugal e da Zona Euro
EPA
Os Estados-membros já entregaram à Comissão Europeia os seus planos para as finanças públicas nos próximos anos, o que está traçado nos Programas de Estabilidade 2019-2023. O Negócios analisou-os e a comparação com as projeções traçadas pelo Executivo português permitem tirar algumas conclusões.

Se as contas do ministro das Finanças, Mário Centeno, se concretizarem, Portugal passará a registar excedentes orçamentais maiores do que os da Alemanha e que ficam acima da média do saldo orçamental dos Estados-membros previsto por Bruxelas.

Contudo, a dívida pública portuguesa manter-se-à a terceira maior da União Europeia face ao PIB. Apesar de Portugal registar a terceira maior queda do rácio da dívida no PIB entre 2018 e 2022, os outros países também continuarão essa redução, mantendo-se as posições relativas. 

Também no investimento público o Estado português destaca-se pela negativa ao ficar abaixo da maior parte dos países da Zona Euro durante os próximos anos, prolongando a tendência que se verifica nas estatísticas oficiais do Eurostat relativas aos últimos anos.

Já a economia deverá crescer mais em termos percentuais do que a média da Zona Euro, que é muito influenciada pelo baixo crescimento das grandes economias do euro, como é o caso da Itália, Alemanha e França, cuja ponderação para a média é elevada. Além disso, no ranking da subida do PIB dos Estados-membros, Portugal figurará na parte da tabela das menores taxas de crescimento.



pub

Marketing Automation certified by E-GOI