Finanças Públicas Jardim: “Sabíamos que isto ia dar um estoiro, por isso fomos buscar o dinheiro enquanto ele existia”

Jardim: “Sabíamos que isto ia dar um estoiro, por isso fomos buscar o dinheiro enquanto ele existia”

O presidente da Madeira não se arrepende de ter investido na Madeira para recuperar o atraso a que Lisboa votou a região. E diz que se investiu de forma rápida para aproveitar enquanto havia dinheiro.
Jardim: “Sabíamos que isto ia dar um estoiro, por isso fomos buscar o dinheiro enquanto ele existia”
Bruno Simões 27 de junho de 2014 às 20:11

Jardim explicou esta tarde, em Lisboa, como é que a Madeira investiu e aproveitou os fundos europeus, recorrendo ao mesmo tempo à banca para pagar as contrapartidas nacionais. "Quando começámos a investir e a fazer obra, porque não foi só com recurso à dívida, aproveitámos a 100% os fundos europeus, e não se ia deixar de aproveitá-los para não fazer dívida", porque "ninguém deita dinheiro de graça fora só por não ir ao banco buscar dinheiro onde ele existe", explicou Jardim.

 

Esse investimento "foi feito aceleradamente porque os senhores jornalistas hão-de compreender: quando vimos que uma acção de uma empresa valia hoje 100, amanhã valia 200 e daí a um mês valia 2.000, alguma coisa estava mal, não correspondia uma riqueza concreta, havia uma especulação, ou em bom português havia uma vigarice".

 

Portanto, "houve a percepção da parte do Governo da Madeira que isto ia dar tudo um grandessíssimo estoiro, daí a razão porque fomos buscar o dinheiro enquanto ele existia para podermos desenvolver a região", explicou João Jardim. No continente isso foi mal visto. "Não se podendo contestar que foi feito trabalho na Madeira, porque ele está lá, o que é que era melhor dizer? Era dizer que ‘eles desenvolvem-se, mas à custa do continente’. Vejam o que há de pérfido nisto", denunciou Alberto João Jardim.

 

Madeira nunca perdeu o crédito, garante Jardim

 

Jardim, que falou na apresentação do estudo "O Deve e o Haver das Finanças da Madeira", sublinhou que nunca faltou crédito bancário à Madeira – faltou foi dinheiro à banca. "A região teve sempre crédito, ao contrário do Estado", comparou. "Quando é que tivemos falta de liquidez? Quando se dá a crise das bancas", destacou.

 

"A banca não tinha liquidez, não fomos nós que perdemos o crédito", destacou o líder do Governo Regional. E, nessa situação de falta de liquidez da banca, foi necessário pedir ajuda financeira a Lisboa, resumiu.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI