Finanças Públicas Teodora Cardoso: "Não me admira que sejam precisas mais medidas"
Conteúdo exclusivo para Assinantes Se já é assinante, faça LOGIN

Teodora Cardoso: "Não me admira que sejam precisas mais medidas"

FMI e Comissão Europeia estão no extremo oposto do Governo e pecam por excesso de pessimismo, diz a economista e presidente do Conselho de Finanças Públicas, que contudo admite que o défice de 2015 só seja alcançável com mais medidas de austeridade.
Teodora Cardoso: "Não me admira que sejam precisas mais medidas"
Bruno Simão/Negócios
Rui Peres Jorge 06 de novembro de 2014 às 06:30

A presidente do Conselho de Finanças Públicas explica ao Negócios as principais conclusões da sua análise ao Orçamento do Estado, que hoje apresentará no Parlamento. Vê muitos riscos no orç

Conteúdo exclusivo para Assinantes Negócios Premium
Assine e aceda sem limites, no pc e no smartphone Assinar por 1€ por 1 mês



Notícias só para Assinantes
Análise, informação independente e rigorosa..
Para saber o que se passa em Portugal e no mundo, nas empresas, nos mercados e na economia.
Notícias e conteúdos exclusivos no website e aplicações móveis
Newsletter diária exclusiva para assinantes
Acesso ao epaper a partir das 23:00
Saiba mais
pub

Marketing Automation certified by E-GOI