Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Paulo Portas diz que PS e PSD estão manietados pelas "clientelas" nas empresas públicas

O líder do CDS-PP defendeu hoje que o PS e o PSD "não são livres" para decidirem sobre os salários dos gestores públicos, argumentando que "estão dependentes" das suas "clientelas".

Lusa 22 de Fevereiro de 2011 às 15:14
"Quando o CDS diz que é preciso estabelecer um limite [aos salários dos gestores públicos], que é preciso vincular a objectivos de gestão, o PS e o PSD não estão livres para tomar a decisão certa porque dependem das suas clientelas, dos seus gestores, nas empresas públicas e nas empresas municipais", afirmou Paulo Portas.

Em declarações aos jornalistas à margem de uma visita ao Instituto de Soldadura e Qualidade, Oeiras, o líder do CDS-PP criticou o PS e o PSD por terem "chumbado" sexta-feira um diploma do CDS que visava a limitação dos salários dos gestores públicos e disse que "se não fosse o CDS", o PSD não tinha decidido agora apresentar uma proposta.

"Agora o PSD diz que vai pensar no assunto, só prova que se não fosse o CDS nunca tinham pensado no assunto", considerou Portas, referindo-se ao anúncio feito segunda-feira à noite pelo secretário-geral do PSD, Miguel Relvas, de que a bancada irá apresentar no início de Março um projecto de resolução para acabar "com os vencimentos pornográficos" dos gestores públicos.

Para Paulo Portas, o "problema do PS e do PSD" é que acumularam "ao longo de décadas" um defeito: "dependem muito das empresas públicas, das empresas municipais, dos institutos públicos, para colocar as suas clientelas.

"Ou seja, o `boyismo´, a colocação de `boys´ na maioria dos casos sem qualquer relação com o mérito no currículo e na profissão, é um problema grave que os portugueses sabem que existe nos partidos centrais", reforçou.

Ver comentários
Saber mais portas salários gestores públicos PS PSD clientelas
Outras Notícias
Publicidade
C•Studio