Catarina Martins quer apoios à reflorestação no Orçamento

A líder bloquista reuniu-se hoje com o presidente da Câmara de Monchique e visitou algumas zonas afectadas pelo fogo, que no início deste mês consumiu cerca de 28 mil hectares de floresta daquele concelho da serra algarvia.
Paulo Calado
pub
Lusa 28 de agosto de 2018 às 18:43

A coordenadora do Bloco de Esquerda (BE) defendeu hoje que o Orçamento do Estado para 2019 "deve ter capacidade para responder" a projectos de reflorestação, de forma a ordenar as áreas ardidas ao nível económico e ambiental.

"Deve haver uma correspondência orçamental para a enorme importância que são os programas de reflorestação, que permitam limpar agora terrenos e proteger as linhas de água e, por outro lado, reflorestar, e que seja dos pontos de vista económico e ambiental, a melhor escolha para as populações", disse aos jornalistas Catarina Martins durante a visita que efectuou à freguesia de Alferce, no concelho de Monchique, no distrito de Faro.

A líder bloquista reuniu-se hoje com o presidente da Câmara de Monchique e visitou algumas zonas afectadas pelo fogo, que no início deste mês consumiu cerca de 28 mil hectares de floresta daquele concelho da serra algarvia.

Catarina Martins acrescentou que o incêndio, embora tivesse tido menos área ardida do que o registado em 2003, "causou um enorme impacto económico junto das populações, existindo para o BE duas preocupações muito grandes".

"Além da importância da reconstrução das habitações permanentes, é importante ajudar os sectores da agricultura de subsistência e familiar a ter os apoios, porque muitas vezes a burocracia é incompreensível para as pessoas que perdem tudo e que já são mais vulneráveis", destacou.

pub

De acordo com Catarina Martins, "as exigências que são feitas para os apoios, são exigências a que estas pessoas não conseguem responder, sendo necessárias regras claras e apoio no terreno para as pessoas saberem pedir apoio".

"Para nós é fundamental este apoio às pessoas que não sabem sequer recorrer aos apoios que existem. Daí ser muito importante que junto das juntas de freguesias e do poder local se criem formas de apoiar estas pessoas. A burocracia não pode impedir esta gente de ter os apoios a que têm direito", sublinhou.

Por outro lado, acrescentou, há outra questão muito importante que, apesar de não ser tão imediata, "tem de ser tratada já e que é a reflorestação".

"Se nada for feito neste território, vamos ter problemas graves que sejam dos solos, das linhas de água, dos eucaliptos a crescerem um pouco por todo o lado e, isso é um problema grave e tem de ser tratado agora", frisou.

Para Catarina Martins, embora se conheçam alguns apoios para a reconstrução das habitações e para a agricultura, o mesmo não se passa para a reflorestação: "É importante a prazo, para que este território seja vivo e mais resistente a estas tragédias tão grandes, e importante do ponto de vista económico".

pub

"São necessários programas de reflorestação e isso precisa de investimento público. Achamos que o OE2019 deve ter capacidade de responder por esses projectos de reflorestação", sublinhou Catarina Martins, assegurando que o BE irá negociar com o Governo medidas orçamentais de apoio.

"Aquilo que achamos importante está sempre em cima da mesa e estamos a negociar, é isso que faremos", concluiu a líder bloquista.

pub