Orçamento do Estado 82% da austeridade virá de cortes na despesa

82% da austeridade virá de cortes na despesa

Mais de 80% do esforço de consolidação orçamental previsto para 2014 virá do lado da despesa. Dos 3901 milhões de euros, "apenas" 534 milhões têm origem no aumento da receita do Estado.
82% da austeridade virá de cortes na despesa
Miguel Baltazar/Negócios
Nuno Aguiar 15 de outubro de 2013 às 20:12

É uma inversão completa face ao orçamento do ano passado. No OE 2013, 19% das medidas vinham de cortes na despesa e 81% do reforço da receita. Este ano, o peso das poupanças nos gastos do Estado passam a representar 82% do esforço total, com os restantes 18% a virem da receita.

 

As despesas com pessoal, isto é os gastos com funcionários públicos, destacam-se como a rubrica que mais contribui para a consolidação orçamental do próximo ano. São 1320 milhões de euros, cuja principal parcela vem da nova tabela salarial da função pública (643 milhões de euros).

 

As prestações sociais são outro grande grupo que irá absorver a maior parte do impacto da austeridade, com um contributo de 891 milhões de euros para a consolidação orçamental do próximo ano. A redução dos consumos intermédios irá contribuir com 460 milhões de euros e 153 milhões virá de cortes nos subsídios.

 

Do lado da receita, destacam-se 200 milhões de euros da “optimização do uso de fundos europeus no emprego e Segurança Social”. No total, a receita aumenta 534 milhões de euros, já descontando a perda de receita fiscal e de contribuições sociais devido aos cortes salariais e nas prestações sociais (459 milhões de euros).




pub

Marketing Automation certified by E-GOI