A carregar o vídeo ...
Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

CDS: Empresas podem aumentar os ordenados mesmo sem subida do salário mínimo

Centristas consideram que a subida do salário mínimo é uma “falsa questão”, porque as empresas podem subir os salários se assim entenderem. O PCP considera que a remuneração mínima em Portugal é uma “vergonha a nível internacional”.

Bruno Simão/Negócios
Bruno Simões brunosimoes@negocios.pt 21 de Novembro de 2013 às 12:59
  • Assine já 1€/1 mês
  • 19
  • ...

Artur Rêgo, deputado do CDS, interveio no debate para se pronunciar sobre a proposta do Bloco de Esquerda de subir o salário mínimo nacional (SMN) para 545 euros. “A subida do SMN é matéria de concertação social”, e quando os parceiros “se entenderem e a trouxerem aqui, nós cá estaremos para acolher a decisão e dar-lhe o devido andamento”. Mas isso não é essencial.

 

"Acolheremos o que for decidido em concertação social, mas gostava de dizer o seguinte: o facto de não haver subida do salário mínimo não impede as empresas de aumentar os ordenados, se assim o entenderem e tiverem condições para isso”, destacou o deputado.

 

É exactamente o que já fora defendido pelo ministro da Economia, Pires de Lima, no início deste mês. As empresas “não têm de ficar à espera que o Estado aumente o salário mínimo nacional para fazer justiça e aumentar os salários”, sublinhou o ministro do CDS. Na moção que encabeçou para o congresso do CDS que acabou por não se realizar, Pires de Lima e diversos outros dirigentes centristas defendiam a subida do salário mínimo.

 

Artur Rêgo aproveitou para criticar o PS por ter congelado a subida do salário mínimo em 2011,

 
Pires de Lima defendeu subida do salário mínimo
Na moção que encabeçou para o congresso do CDS que acabou por não se realizar, Pires de Lima e diversos outros dirigentes centristas defendiam a subida do salário mínimo.

e por ter condicionado, no memorando, a subida desta prestação. Já Jorge Machado considera que os “432 euros líquidos” referentes à remuneração mínima representam “um salario de vergonha a nível internacional”. “Não é preciso nenhum acordo de concertação social, ele já existe”, sublinhou.

 

Passos Coelho é o único que não quer subir o salário mínimo, diz o PS

O PSD também pediu um acordo de concertação para aprovar uma subida desta prestação. Nuno Sá, do PS, lembrou que “há consenso para a subida do SMN”, até mesmo dentro do “PSD e do CDS”. E deu o exemplo da Irlanda, que “desceu numa primeira fase o SMN e, ainda ao abrigo do programa de ajustamento, subiu o salário mínimo porque reconheceu que tinha cometido um erro”.

“O ultimo moicano que não quer subir o SMN é o primeiro-ministro”, acusou Nuno Sá. “Ainda há bem pouco tempo deu provas disso, quando foi à concertação social fazer número político”, lamentou. “Não está no memorando que não se possa subir o SMN, veja-se o caso da Irlanda”. O que há é falta de vontade. “O primeiro-ministro disse nesta câmara, a 6 de Março, aquilo que verdadeiramente pensa, e o que disse foi: ‘a medida mais sensata para combater o desemprego seria baixar o salário mínimo’. Este é que é o pensamento do primeiro-ministro”, afiançou.

 

Ver comentários
Saber mais Artur Rêgo CDS Pires de Lima salário mínimo
Outras Notícias