Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Deputada alemã: Troika "não é má da fita", Governo é que tem de cumprir metas

Os objectivos da troika são consensuais e cabe ao Governo português descobrir formas de os cumprir, disse hoje à Lusa a deputada alemã Bettina Hagedorn, que lidera uma delegação do parlamento da Alemanha em visita a Portugal.

Negócios negocios@negocios.pt 18 de Setembro de 2012 às 13:47
  • Partilhar artigo
  • 2
  • ...
"Creio que as pessoas não devem dizer que os da troika [Banco Central Europeu, Comissão Europeia e Fundo Monetário Internacional] são os maus da fita. Toda a gente concorda que os objectivos [da troika] são os correctos. O problema não é esse. O governo português é que tem de descobrir a sua forma de os concretizar. Isso não cabe à troika, mas ao governo", disse Hagedorn, pouco antes de entrar para uma reunião com duas comissões parlamentares portuguesas na Assembleia da República.

"Isso é uma discussão muito interessante em Portugal, como atingir as metas. Poderá ser de uma maneira diferente da forma que o Governo propôs na semana passada", disse Hagedorn, cuja delegação também teve encontros com o Governo e com o Banco de Portugal.

"Soubemos que, no sábado passado, muita gente em Portugal saiu à rua. Parece-nos que para [grande parte] da população, há um sentimento de que [os sacrifícios pedidos] não são justos. Isso é algo que é melhor compreendermos agora", acrescentou a deputada alemã. "Agora, quando regressarmos a Berlim poderemos ver as coisas de perspectiva diferente. Esta visita foi muito útil, vimos as coisas como elas são."

Hagedorn é membro do SPD, socialistas, actualmente na oposição ao Governo da chanceler Angela Merkel.

"Votámos a favor" das políticas de Merkel quanto à crise europeia, afirma a deputada alemã acrescentando contudo que o SPD teria conduzido a resposta alemã à crise "de uma forma diferente".

"Não queremos que pensem na Europa que, se o SPD ou os Verdes estivessem no Governo, [a Alemanha] deixaria de ter uma atitude positiva em relação à Europa, que não garantíssemos solidariedade [com os países em crise]. Mas faríamos as coisas de forma um pouco diferente", afirmou a deputada alemã.

Então e quais serão as diferenças se estivesse no Governo o SPD e não a CDU de Merkel? "Essa resposta demorava tempo demais!", respondeu Hagedorn, desculpando-se por já estar atrasada para um encontro com deputados portugueses das comissões de Orçamento e Finanças e de Segurança Social e Trabalho.

Ver comentários
Saber mais Deputada alemã. troika Governo metas
Outras Notícias