Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Estado já está a escolher leiloeira para vender Mirós do BPN

A Parups, veículo que ficou com o património imobiliário do antigo BPN, além de outros activos, já lançou o concurso internacional para escolher a leiloeira que vai vender os quadros do Miró que eram do banco nacionalizado. Uma “valiosa colecção de arte”, segundo a proposta de Orçamento do Estado.

Bruno Simão/Negócios
Maria João Gago mjgago@negocios.pt 15 de Outubro de 2013 às 21:00
  • Assine já 1€/1 mês
  • 4
  • ...

O Estado já tem em curso o processo de selecção da leiloeira que vai vender a colecção de arte do antigo BPN, revela o Relatório do Orçamento do Estado para o próximo ano. A Parups, veículo que absorveu o património imobiliário do banco nacionalizado em 2008, além de outros activos, já lançou o concurso internacional com esse objectivo. Segundo anunciara Maria Luís Albuquerque no Verão, serão consultadas as duas maiores leiloeiras internacionais, a Sotheby's e a Christie's.

 

Em causa está, segundo se pode ler no documento entregue esta terça-feira no Parlamento, uma “valiosa colecção de arte”, que inclui 85 quadros do pintor catalão Joan Miró, além de outras obras. No entanto, ainda não foi avançada qualquer expectativa de receitas a gerar por esta alienação.

 

Quanto ao restante património deste veículo, nos primeiros sete meses do ano, a Parups arrecadou 13,9 milhões de euros com a venda de activos imobiliários e financeiros.

 

Também os restantes veículos criados para gerir antigos activos do BPN têm procurado gerar recursos financeiros. A Parvalorem, que ficou com o malparado, conseguiu recuperar 298 milhões de euros em créditos, nos primeiros oito meses deste ano, um montante superior aos 212 milhões cobrados no conjunto do ano passado.

 

Já a Parparticipadas, que ficou com as participações em sociedades financeiras, espera recuperar 100 milhões de euros, com a venda do BPN Gestão de Ativos, da Real Vida (estas duas já concretizadas), e com a alienação do BPN IFI (Cabo Verde) e BPN Brasil, operações que já foram objecto da celebração de acordos de venda. O Governa antecipa ainda que a “alienação do BPN Crédito será concretizada muito em breve, mantendo-se as negociações com potenciais investidores para a venda do Banco Efisa”. 

Ver comentários
Saber mais BPN Maria Luís Albuquerque Orçamento do Estado
Outras Notícias