Orçamento do Estado Maria Luís Albuquerque admite "melhorar" a proposta de Orçamento do Estado para 2014

Maria Luís Albuquerque admite "melhorar" a proposta de Orçamento do Estado para 2014

A ministra das Finanças acredita que a recuperação da economia portuguesa irá manter-se no terceiro trimestre do ano.
Maria Luís Albuquerque admite "melhorar" a proposta de Orçamento do Estado para 2014
Miguel Baltazar/Negócios
Ana Luísa Marques 28 de outubro de 2013 às 12:05

Maria Luís Albuquerque, ministra de Estado e das Finanças, admitiu esta segunda-feira, 28 de Outubro, que o Governo pode “melhorar” a proposta de Orçamento do Estado para 2014, “preservando os princípios essenciais” do documento.  

 

A proposta de Orçamento do Estado para 2014, que começa a ser discutida esta quinta-feira na Assembleia da República, é, no entender, de Maria Luís Albuquerque “exigentes” mas “adequada”.

 

“Os portugueses com menores rendimentos são protegidos e todos os agentes económicos são chamados a contribuir”, afirmou a responsável pela pasta das Finanças no início das Jornadas Conjuntas do PSD e CDS/PP, que decorrem esta segunda e terça-feira na Sala do Senado da Assembleia da República. O vice-primeiro ministro, Paulo Portas, realizou o discurso de abertura e Pedro Passos Coelho encerrará, amanhã, estas jornadas.

 

Na sua intervenção, Paulo Portas afirmou que há “sinais ténues mas consistentes” de que a economia portuguesa está a recuperar. Esta ideia foi depois reiterada pela ministra de Estado e das Finanças: “Temos indicações que no terceiro trimestre deste ano” a economia vai manter a tendência de recuperação iniciada nos três meses anteriores.

 

Nesse período, segundo dados do Instituto Nacional de Estatística, o produto interno bruto (PIB) português cresceu 1,1% face aos três meses anteriores. As previsões de várias entidades, como o BBVA e a Universidade Católica Portuguesa, confirmam o optimismo do Governo e mostram que o PIB terá voltado a registar uma variação positiva em cadeia no terceiro trimestre. A primeira estimativa rápida das contas nacionais, referente ao terceiro trimestre, só será conhecida a 14 de Novembro.

 

Para Maria Luís Albuquerque, “estes sinais são encorajadores e confirmam que a estratégia [do Governo] está a dar resultados”. A responsável pela pasta das Finanças admitiu que o ajustamento tem sido “duro” mas “equitativo”, e que os “esforços de consolidação orçamental são inegáveis”.

 

(Notícia actualizada às 12h38)




pub

Marketing Automation certified by E-GOI