Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

PSD confessa "angustiante opção" de aprovar Orçamento

O vice-presidente e deputado social-democrata confirmou hoje a abstenção do PSD na votação do Orçamento do Estado, frisando, no entanto, que a viabilização da proposta do Governo se trata de uma "angustiante opção" para o partido.

António Larguesa alarguesa@negocios.pt 12 de Março de 2010 às 17:37
  • Partilhar artigo
  • 2
  • ...
O vice-presidente e deputado social-democrata confirmou hoje a abstenção do PSD na votação do Orçamento do Estado, frisando, no entanto, que a viabilização da proposta do Governo se trata de uma "angustiante opção" para o partido.

“Apesar das insuficiências detectadas no orçamento, o maior mal neste contexto seria manter o país sem orçamento, atirando Portugal para o abismo da crise”, declarou Paulo Mota Pinto. “Só não chumbamos este orçamento por razões patrióticas”, completou.

Aliado à “percepção internacional que está por realizar a consolidação orçamental”, uma eventual reprovação do Orçamento traria “consequências gravíssimas” para o País, acrescentou o deputado social-democrata na intervenção final do debate de hoje na Assembleia da República.

Apesar da viabilização, o PSD assinalou que os socialistas “terão de responder pelo corolário de políticas económicas erradas” e garantiu que o PSD vigiará atentamente a execução orçamental e não deixará de alertar para a necessidade de reformas estruturais em Portugal.

Mota Pinto lamentou ainda que “o PS e este Governo tenham vindo a semear ventos nos últimos anos e agora que a tempestade se anuncia queiram partilhar culpas e escapar a responsabilidades, sem reconhecer os seus erros”.

“Não o fazemos por interesse partidário, mas porque a assumpção dos erros é o primeiro passo para encetarmos o período de recuperação”, concluiu Mota Pinto, que é o presidente da Comissão de Orçamento e Finanças nesta legislatura.

Ver comentários
Outras Notícias