Orçamento do Estado UTAO: Só uma execução "muito favorável" no último trimestre permite cumprir défice de 2012

UTAO: Só uma execução "muito favorável" no último trimestre permite cumprir défice de 2012

A quebra da receita do Estado absorveu mais de 80% do corte na despesa pública nos primeiros nove meses de 2012, estima a UTAO, que considera que só uma execução "muito favorável" no último trimestre permite cumprir défice.
UTAO: Só uma execução "muito favorável" no último trimestre permite cumprir défice de 2012
Lusa 23 de janeiro de 2013 às 14:16

Numa nota sobre as contas das administrações públicas do terceiro trimestre do ano passado em contabilidade nacional (a que conta para Bruxelas), a Unidade Técnica de Apoio Orçamental (UTAO) diz que cerca de 4/5 da diminuição observada ao nível da despesa pública acaba por ser absorvida pela queda na receita.

 

Esta diminuição na despesa foi conseguida essencialmente através de cortes nas rubricas de despesas com pessoal e despesas de capital.

 

A unidade que funciona junto da Comissão parlamentar de Orçamento, Finanças e Administração Pública tem vindo a alertar para o desvio na receita face ao estimado mesmo no orçamento rectificativo de Outubro, em especial das receitas fiscais, e considera que este desvio pode colocar pressões sobre a meta do défice orçamental de 2012.

 

"O cumprimento do objectivo anual para o défice está dependente de uma execução orçamental muito favorável no último trimestre e da contabilização da receita extraordinária da concessão do serviço aeroportuário", diz a UTAO.

 

"Se, por um lado, o quarto trimestre beneficiará da suspensão do subsídio de natal dos funcionários públicos e pensionistas e de medidas adicionais de consolidação orçamental, por outro lado, nele ainda recairão os efeitos de uma provável aceleração do ritmo de diminuição da receita fiscal", acrescenta.

 

 




Saber mais e Alertas
pub

Marketing Automation certified by E-GOI