Função Pública Aumentos salariais na Função Pública custam 95 milhões de euros

Aumentos salariais na Função Pública custam 95 milhões de euros

Os dados foram avançados pelo Governo que, no entanto, não esclareceu se está em causa o impacto bruto ou líquido. Quanto à falta de acordo, o secretário de Estado da Administração Pública culpa sindicatos por propostas que custariam "dez vezes mais".
Aumentos salariais na Função Pública custam 95 milhões de euros
Sérgio Lemos
Catarina Almeida Pereira 19 de fevereiro de 2020 às 13:58

Os aumentos salariais dos funcionários públicos, que serão de 0,3% para a generalidade dos trabalhadores e de 10 euros no caso dos salários mais baixos, vão custar 95 milhões de euros. Em declarações aos jornalistas, o secretário de Estado da Administração Pública, José Couto, não esclareceu, no entanto, se em causa está o impacto líquido ou bruto.

O governante responsabilizou, no entanto, os sindicatos pela ausência de acordo. 

"Houve uma evolução de dezembro até agora que todos reconhecem, agora compreenderão que quando há uma proposta do Governo e contrapropostas que representam não o dobro, não o triplo, não o quadruplo, mas dez vezes mais (...) do que o Governo considera sustentável, as dificuldades de aproximação são muito grandes", disse José Couto.

Num comunicado distribuído aos jornalistas, o Governo sublinha esta ideia, ao considerar que "em geral, as contrapropostas dos sindicatos são muito exigentes do ponto de vista orçamental, pelo que seria irresponsável aceitar as propostas".

Quando anunciou o aumento de 0,3% para todos os funcionários públicos, em dezembro, o Governo estimou o impacto de 60 a 70 milhões de euros. A diferença em relação aos valores agora apresentados justificar-se-á com o reforço dos aumentos para quem ganha até 683 euros.

Notícia atualizada com as declarações do secretário de Estado da Administração Pública, José Couto.




Saber mais e Alertas
pub

Marketing Automation certified by E-GOI