Função Pública Finanças: Problemas informáticos só se colocam se duodécimos forem opcionais

Finanças: Problemas informáticos só se colocam se duodécimos forem opcionais

É a possibilidade de os funcionários poderem decidir se querem ou não receber o subsídio de Natal em duodécimos que pode criar problemas informáticos, esclarecem as Finanças, sem fecharem a porta a qualquer das opções.
Finanças: Problemas informáticos só se colocam se duodécimos forem opcionais
Bruno Simão/Negócios
Catarina Almeida Pereira 12 de outubro de 2016 às 14:45

Um sistema em que os funcionários públicos pudessem escolher se querem ou não receber o subsídio em duodécimos poderia criar problemas informáticos, esclareceu ao Negócios fonte oficial do Ministério das Finanças, acrescentando contudo que não está com isto a indicar o sentido da decisão do Governo.

Actualmente, o subsídio de Natal é pago aos funcionários públicos em duodécimos mas no próximo orçamento o Governo tem de escolher o que fará: se prolonga o regime actual, se elimina de vez os duodécimos no Estado (como já noticiou o Observador) ou se permite que as pessoas possam escolher que tipo de pagamento preferem, à semelhança do que acontece no sector privado e em linha com o que é defendido pela UGT.

Esta quarta-feira, na sequência de uma reunião no Ministério das Finanças, Helena Rodrigues, do Sindicato dos Quadros Técnicos do Estado, explicou aos jornalistas que a eliminação dos duodécimos já em Janeiro poderia trazer problemas informáticos.

Agora, o Ministério das Finanças esclarece que eventuais dificuldades só se colocam se houver possibilidade de opção e que mesmo assim podem ser ultrapassadas. A mera eliminação dos duodécimos não trará, por isso, problemas técnicos de maior.

Apesar de ter esclarecido este ponto, o Ministério das Finanças recusa esclarecer qual a decisão em cima da mesa, por se tratar de matéria relativa ao Orçamento do Estado para 2016.

 

 




pub

Marketing Automation certified by E-GOI