Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Governo deverá contratar mais 2500 profissionais de segurança e cumprir metas

Proposta do PCP aprovada na especialidade prevê a admissão de 3.500 pessoas para as forças e serviços de segurança, que se soma a outros 2.500 a recrutar este ano, uma meta que ainda não está assegurada.

António Pedro Santos/Lusa
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

O Parlamento aprovou na especialidade uma proposta do PCP que prevê que o Governo tenha como "referência" para o próximo ano o recrutamento de 2.500 profissionais para as forças e serviços de segurança, que se soma a igual número para 2020, segundo confirmou ao Negócios fonte oficial do PCP.


A proposta prevê que o Governo dê "continuidade" ao plano plurianual de admissões já previsto na lei, que aponta para o recrutamento de 10 mil novos efetivos até 2023.

"O plano referido no número anterior tem como referência para 2021 a admissão de 2500 profissionais para as forças e serviços de segurança de acordo com um faseamento a estabelecer pelo Governo, ouvidos os sindicatos e associações representativas dos profissionais do setor", estabelece a proposta aprovada nas votações da especialidade do orçamento do Estado.

"Sem prejuízo do disposto no número anterior, mantém-se válida a referência de recrutamento de 2500 efetivos prevista para 2020, devendo o Governo proceder à admissão dos profissionais em falta para completar esse quantitativo", acrescenta.

O PCP explica, na justificação da proposta, que o objetivo para 2020 "não se concretizou, pondo inclusivamente em risco de caducidade reservas de recrutamento relativas a concursos já realizados".

Para isso devem ser "integralmente utilizadas" as reservas de recrutamento já efetuadas noutros concursos, "havendo transição de saldos relativamente às verbas previstas em 2020 para esse efeito".

Ver comentários
Saber mais Função Pública forças e serviços de segurança recrutamento na administração pública
Outras Notícias