Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Polícias vão manter 36 horas e ter nova tabela remuneratória

  Os polícias vão manter as 36 horas de trabalho e ter uma nova tabela remuneratória, que vai permitir um aumento de salário até 50 euros, segundo um memorando hoje assinado entre dois sindicatos da PSP e a tutela.

Miguel baltazar
Lusa 09 de Junho de 2015 às 07:53
  • Partilhar artigo
  • 16
  • ...

A Associação Sindical dos Profissionais da Polícia (ASPP/PSP) e o Sindicato dos Profissionais de Polícia (SPP/PSP) assinaram na segunda-feira com a ministra da Administração Interna, Anabela Rodrigues, um memorando que resumo as três reuniões sobre as negociações de alteração ao estatuto profissional da PSP.

 

O presidente da ASPP, Paulo Rodrigues, disse à agência Lusa que o memorando foi assinado uma vez que não existiam actas das reuniões, tendo agora ficado registado em papel o resumo dos encontros e as propostas da tutela.

 

Paula Rodrigues adiantou que "está tudo em aberto", devendo agora a ministra apresentar o documento final aos sindicatos da PSP, que a vão analisar em conjunto e tomar uma decisão.

 

Também o presidente do SPP, Manuel Andrade, disse à Lusa que a proposta do estatuto "carece ainda de algumas melhorias", nomeadamente na questão da nova tabela remuneratória, e que o sindicato vai agora fazer um balanço.

 

No entanto, considerou que é "o estatuto possível devido às contingências de operacionalidade".

 

Segundo o memorando hoje assinado, a nova tabela remuneratória vai permitir aos polícias que estão na primeira posição de cada categoria um aumento de 50 euros no salário mensal.

 

A ministra mantém a diminuição dos dias de férias, dos 25 para os 22, situação que é compensada, segundo os sindicatos, com uma folga quando se trabalha nos feriados e com um prémio de desempenho.

 

Os polícias que tenham uma nota positiva na avaliação podem ter mais três dias de férias por ano.

 

O futuro estatuto vai também estabelecer que a passagem à pré-aposentação passe a ser automática aos 55 anos de idade e 36 anos de serviço e a reforma aos 60 anos sem qualquer penalização.

 

Paulo Rodrigues disse ainda que "não é o estatuto perfeito, mas entre o que foi apresentado na primeira reunião e a última houve avanços".

 

Anabela Rodrigues continua ao longo desta semana a receber os sindicatos da PSP, devendo a terceira e última ronda ficar concluída na quinta-feira.

 

Ver comentários
Saber mais Associação Sindical dos Profissionais da Polícia Anabela Rodrigues polícias
Outras Notícias